Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Menos escolas na rede estadual em Criciúma

Jarbas Passarinho fecha Ensino Fundamental, Marechal Rondon passa ao município e Maria Peixoto se dedica ao EJA
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 04/11/2019 - 18:49Atualizado em 04/11/2019 - 18:59
Divulgação
Divulgação

Norteado pelo Plano de Ofertas Educacionais (POE), o Governo do Estado enxuga a rede de escolas que administra em Santa Catarina. Alguns casos pontuais relacionados a estas mudanças foram detalhados nesta segunda-feira, 4, pela coordenadora regional de Educação, Ronisi Guimarães, na sessão da Câmara de Vereadores.

"O POE é feito escola por escola, desde 2015, avaliando números de matrículas, nota do Ideb, distorção entre ofertas, séries e idades. É um estudo de oferta e demanda das escolas para otimizar recursos públicos e analisar se a escola tem condições de se manter ou não", explicou Ronisi.

A transferência da Escola Marechal Rondon do Estado para o município é uma das conclusões do POE que está sendo posta em prática em 2020. "Fizemos reuniões com os pais para apresentar a situação e, em vez de aumentar o número de matrículas para manter a escola, houve saídas. No dia seguinte, 20 alunos saíram com medo de a escola fechar, isso foi há dois anos. Sempre procuramos a comunidade", garantiu Ronisi, rebatendo a reclamação de pais, que alegam não terem sido consultados pelo Estado sobre a alteração. "Fizemos tudo com muita responsabilidade e seriedade. Quando eu chegueina gerência até papel higiênico faltava nas escolas. Conosco, isso nunca mais vai acontecer", afirmou.

O Marechal Rondon estava com 148 alunos projetados para 2020. "Com espaço físico para até 500 alunos, 250 por período", frisou Ronisi. "Neste ano o POE analisou em específico o caso da Escola Marechal Rondon, desde 2015 ela está sendo analisada, a oferta e a demanda, e neste ano, com o interesse do município em poder ampliar a oferta da Educação Infantil, esse acordo da municipalização foi firmado. A oferta continua, o aluno continua sendo atendido, e será ampliada", explicou a coordenadora.

Há outros dois casos de escolas estaduais que reduzirão atividades em Criciúma. A Jarbas Passarinho, no Pinheirinho, vai deixar de oferecer Ensino Fundamental e focará apenas nas turmas de Educação para Jovens e Adultos (CEJA). "Para se ter uma idiea, essa escola tinha menos de 60 matrículas de previsão para 2020", comentou. Na Próspera, mudanças também na Escola Maria José Peixoto. "Constatamos que há três escolas em um raio de cinco quilômetros na Próspera, então a Maria José Peixoto ficará apenas com o EJA diurno, que era uma necessidade, e também haverá oferta de séries finais do Ensino Fundamental", concluiu.