Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Mantida prisão de líder de facção criminosa de Criciúma acusado de assassinato

Exame de balística comprovou que arma apreendida com o homem foi mesmo utilizada para cometer o crime
Gregório Silveira
Por Gregório Silveira Criciúma, SC, 18/09/2020 - 16:16Atualizado em 18/09/2020 - 16:18
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O homem conhecido no mundo crime como Juca, de 18 anos,  teve a prisão temporária decretada no dia 20 de agosto. Ele era suspeito de ter sido um dos autores do assassinato de Saimon Sant'ana Pinto, morto a tiros  no bairro Santo André, em Criciúma, no mês de julho.
Na data do cumprimento da prisão temporária, em operação conjunta das polícias Civil e Militar, foram apreendidas duas armas de fogo, uma delas de calibre 32, sendo comprovado através de perícia de comparação balística realizada pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) que a arma foi mesmo utilizado para matar Saimon.

Juca, que também era uma liderança local de uma facção criminosa, foi denunciado pelos crimes de homicidio qualificado, participação em organização criminosa,  corrupção de menores e posse de arma de fogo com numeração suprimida, devendo permanecer preso até ser julgado por júri popular.