Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Mais uma escola estadual passa ao município em Criciúma

Mudança do Marechal Rondon para 2020 motiva reclamações na Câmara. Secretaria de Educação explica
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 22/10/2019 - 18:41Atualizado em 22/10/2019 - 18:51
Secretário de Estado, Natalino Uggioni, já assinou a municipalização da Marechal Rondon / Arquivo / 4oito
Secretário de Estado, Natalino Uggioni, já assinou a municipalização da Marechal Rondon / Arquivo / 4oito

Já está assinada pelo secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, a municipalização da Escola Marechal Rondon, localizada no Bairro Santa Catarina, em Criciúma. "Está assinado. Agora faltam apenas os trâmites burocráticos mas sim, essa escola vai se incorporar à rede do município em 2020", confirma a secretária municipal de Educação, Roseli de Lucca Pizzolo. 

Representantes da comunidade escolar procuraram a Câmara de Vereadores nesta terça-feira, 22, para reclamar. Eles pontuaram que faltou diálogo com a população que não teria sido consultada sobre a mudança. Eles denunciaram, ainda, que o Estado promoveu um gradual "desmonte" da Marechal Rondon nos últimos anos, não promovendo a abertura de turmas justamente com o intuito de repassar a gestão ao município.

"O Estado quis repassar alegando que essa escola está com problemas de alunos, que estão diminuindo a cada ano. Se não viesse para o município a tendência era fechar, como ocorreu com aquela da Boa Vista que passou para a Polícia Militar", justifica a secretária Roseli. Segundo ela, já houve uma reunião entre a Gerência Regional de Educação (Gered) e a comunidade para explicar a transferência. Boa parte dos professores efetivos já foram realocados em outras escolas.

"Vamos fazer como fizemos no Luiz Lazzarin, no Rio Maina, quando recebemos do Estado. Vamos fazer uma ampla reforma, tenho certeza que a comunidade vai ganhar", pontuou. Com a migração ao município, a Marechal Rondon receberá alunos da Escola Jovito de Campos, do Bairro Lote Seis. "A Jovito é pequena, tem Educação Infantil de 4 e 5 anos e o primeiro ano, não tem espaço para mais. Então nossa ideia é transferir esses alunos para o Marechal Rondon e liberar o prédio da Jovito para uma creche da Afasc, já que há muita demanda por Educação Infantil também naquela região", detalhou Roseli. 

A etapa, agora, é de formalização da municipalização. "Só estamos na dependência de o Estado enviar documentos para a Câmara aprovar, permitindo as reformas que faremos na escola. Estive lá e a escola está bem feia, precisando mesmo", concluiu.