Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“Foi uma virada histórica, um momento único”

Adelor Lessa entrevista secretário-geral da CBF, Walter Feldman
Redação
Por Redação Criciúma - SC, 28/03/2018 - 10:09Atualizado em 28/03/2018 - 10:14
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

O Brasil jogou amistoso ontem contra a Alemanha e venceu por 1 a 0. O gol da vitória foi feito Gabriel Jesus. Há quem considere a vitória como uma confirmação da recuperação da Seleção Brasileira. Foi sobre esse e outros assuntos, que o jornalista Adelor Lessa conversou com o secretário-geral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Walter Feldman.

“Tem várias coisas que podem ser comentadas sobre esse jogo. Estamos aqui há alguns dias acompanhando a preparação técnica que toda a comissão tem levado. Não dá para negar que temos uma carga recente que estava para ser ultrapassada. Neste momento já tínhamos a medalha olímpica, então já estávamos no caminho desta vitória que consagra a recuperação total da Seleção Brasileira. Eu diria que foi uma virada histórica, um momento único. Nós que viemos acompanhar estamos felizes”, comentou.

Para Feldman a Seleção Brasileira é uma das favoritas a conquistar o título. “Eu diria que o mundo está convencido. Logo após a entrada do Tite, a recuperação extraordinária nos jogos eliminatórios, provando que o Brasil está em fase de crescimento e de melhoria da sua performance, com a vinda do Tite isso deu uma qualificação quase inesperada dada a sua rapidez e sua evolução, o Brasil se classificando já se colocava como um dos favoritos. Nós estamos acompanhando de perto toda a preparação que o Tite e da comissão que se soma a criatividade e a genialidade do jogador brasileiro, nós podemos estar voltando aos grandes momentos que nosso futebol já teve”, afirmou.

Da política para o futebol

Feldman, antes de ser parte da Confederação Brasileira de Futebol, já foi vereador, deputado estadual e federal, secretário de Estado e de Município. Foi como Secretário de Esportes de São Paulo que Feldman teve contato direto com o futebol.

“Foi aí que eu tive contato com Marco Polo que aí me convidou quando eu já anunciava o desejo de encerrar o ciclo da política, ele me convida para ser secretário-geral da CBF e eu aceitei prontamente. E eu diria que estou absolutamente empolgado”, comentou.