Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Exportação de carnes em SC se destaca em meio a pandemia

Estado correspondeu a 56% da exportação de carnes suínas do Brasil no primeiro semestre
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 15/07/2020 - 14:39Atualizado em 15/07/2020 - 14:42
Foto: divulgação
Foto: divulgação

O setor de exportação de proteína animal de Santa Catarina vem se destacando durante este período de pandemia do novo coronavírus. Nos primeiros meses do ano, com a doença em alta na China, um dos maiores importadores de carnes do país, a preocupação de uma queda nos números de exportações eram grandes. Apesar disso, o setor foi se recuperando bem até o final do primeiro semestre.

“O primeiro momento em março e abril foram extremamente difíceis, porque os portos foram fechados tanto no continente asiático quanto em outros países, mas agora já podemos dizer que a página está virada. As exportações de proteína animal de SC para o continente asiático, e mais especialmente para a China, mostraram resultados extremamente positivos no final do semestre. Um aumento extraordinário, de praticamente 50% do que vinha se exportando no primeiro semestre de 2019”, declarou a economista e presidente da Câmara de Comércio Exterior da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Maria Teresa Bustamante. 

Apesar das dificuldades, os produtores de carne suína estão conseguindo manter e até mesmo aumentar a participação no mercado chinês. Comparando com dados nacionais, SC correspondeu por 56% de toda a carne suína exportada pelo Brasil no primeiro semestre de 2020. “Isso mostra o quanto nossos produtores têm cada vez mais melhorado a qualidade de entregas, cuidados e preservação sanitária”, pontuou Maria Teresa. 

A forte atuação do mercado catarinense de exportação de proteína animal não se dá somente às grandes empresas, como a JBS, por exemplo. A economista ressalta que as médias e pequenas empresas, sobretudo os pequenos produtores, são essenciais para que o estado alcance esse patamar de exportações. 

“Esses grandes frigoríficos são exportadores na ponta final da venda e exportação, mas são abastecidos por todos esses produtores rurais que efetivamente geram um impacto econômico e social importante. Esses pequenos produtores já são exportadores diretos, e sem a participação deles o produto final que chega na mesa do consumidor asiático não aconteceria”, destacou.

Outros setores importantes em SC

Não é somente a exportação de proteína animal de SC que possui grande destaque no mercado. Segundo Maria, o setor de alimentos, bebidas, tecnologia e insumos também são importantes para o estado.

“Tivemos não somente bebidas como a cachaça catarinense se destacando, como também erva mate, café, pão de queijo congelado, inclusive cucas e pães congelados. Temos uma diversificação grande de produtos nesse setor de alimentos que mostra claramente a participação da micro e pequena empresa”, definiu.