Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Empregos em junho: Amrec e Amurel com saldo positivo; Amesc negativo

Números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta terça-feira
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 28/07/2020 - 16:49Atualizado em 28/07/2020 - 17:17
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os números divulgados nesta terça-feira, 28, pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), mostram que, mesmo com a pandemia, a Amrec e a Amurel fecharam o mês de junho com saldo positivo. Por outro lado, o Extremo Sul fechou no vermelho.

A Região Carbonífera gerou 3.812 novos postos de trabalho e perdeu 3.599 ao longo do mês, resultando em um saldo de 213. A Amurel, registrou 2.411 admissões e teve 2.347 demissões, resultando em um saldo positivo de 64. O Vale do Araranguá não teve a mesma sorte e fechou com um saldo negativo. Foram 907 contratações e 1.201 desligamentos, um saldo de -144.

Confira também:
Adelor Lessa – Empregos em junho: AMREC tem saldo positivo, Criciúma negativo
 

Na Amrec, o melhor saldo foi de Içara, com 203 novos postos de emprego, seguido de Forquilhinha, com 133 e Nova Veneza com 81. O pior desempenho foi de Criciúma que teve 1.609 contratações e 1.838 desligamentos, resultando em um saldo de 229 negativos. Depois da maior cidade da região, o pior desempenho da Amrec foi de Cocal do Sul com -22, seguido de Morro da Fumaça e Orleans com -11 cada um. “Os dados demonstram que a economia da região está reagindo, pois em maio já ocorreu desaceleração no número de desligamentos e no mês passado as admissões já superaram as demissões. É um excelente sinal”, considera o presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Moacir Dagostin.

Ele ressalta ainda que manter os números positivos dependerá de todos. “Cada um de nós pode colaborar para que essa reação continue, observando as normas sanitárias e seguindo todas as medidas para prevenir o avanço da Covid-19. Não podemos permitir que haja um novo fechamento em massa, restringindo as atividades e colocando os empregos em risco”, reitera.

Geração de emprego na Amrec:

Já na Amesc, o pior desempenho em junho foi de Sombrio que teve saldo de 96 negativos. Araranguá vem na sequência, com -70 e Balneário Gaivota, com -22. O melhor desempenho é de Maracajá, com 25 positivos.

Geração de emprego na Amesc:

Na Região de Laguna, o destaque ficou por conta de Braço do Norte, com um saldo positivo de 46 novos empregos gerados no mês. Depois aparece Pedras Grandes, com 43 novas vagas; Jaguaruna, com 38 e Imbituba, com 20. O pior desempenho foi de Tubarão que perdeu 49 postos de trabalho.

Geração de emprego na Amurel:

Saldo positivo no estado

Santa Catarina teve um saldo positivo de 3.721 novos empregos formais em junho, melhor resultado entre os sete estados do Sul e Sudeste. Todos os setores da economia catarinense contrataram mais do que demitiram no mês, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. O número positivo catarinense contrasta com o panorama nacional, em que o saldo foi negativo, com 10.984 demissões a mais que contratações. Os dados foram divulgados na manhã desta terça-feira, 28.

Na avaliação do governador Carlos Moisés, este é mais um dado que indica a efetividade das medidas adotadas por Santa Catarina desde o início da pandemia. "Nós sempre tivemos a preservação da vida como prioridade, e isso acaba por impactar positivamente também na economia. Ao agir cedo e tomar as medidas preventivas no tempo certo, retardamos o pico do contágio, preparamos a rede hospitalar e pudemos permitir o retorno controlado de algumas atividades. Hoje, além de Santa Catarina ter a menor taxa de letalidade por Covid-19 do Brasil, também é destaque na retomada da economia", expõe o governador.

Em junho, foram 59.980 contratações e 56.259 demissões registradas em Santa Catarina. O setor que mais empregou foi a indústria, com 1.760 novos postos formais. Os outros setores também tiveram resultado positivo: serviços (892), comércio (525), construção (462) e agropecuária (82).

Esta não é a única notícia positiva para o mercado de trabalho catarinense. Na semana passada, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que Santa Catarina teve a menor taxa de desocupação do Brasil e o menor percentual de pessoas trabalhando na informalidade em junho.