Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
Exclusivo

Em entrevista exclusiva ao Programa Adelor Lessa, João Dória destaca que o Brasil vive sob ameaças

O possível candidato à Presidência em 2022, assegura trazer propostas que garantam maior crescimento econômico
Letícia Ortolan
Por Letícia Ortolan Criciúma, SC, 25/06/2021 - 11:02Atualizado em 25/06/2021 - 11:33
Fotos: Vitor Netto / 4oito
Fotos: Vitor Netto / 4oito

O governador de São Paulo, João Dória, confirmou sua disputa às prévias do Partido da Social Democracia dos Brasileiros (PSDB) ao cargo de presidente em 2022. Entre as pautas que são destaques para o político, estão a maior geração de empregos, valorização do empreendedorismo e proteção social aos mais vulneráveis. No que diz respeito à polarização dos extremos políticos, ele salienta que para um país que já vivenciou situações desonestas e negacionistas com Lula e Bolsonaro, não é razoável precisar fazer a escolha entre um e outro. 

Em entrevista exclusiva ao Programa Adelor Lessa, na manhã desta sexta-feira, 25, o governador paulista afirmou que trará propostas para garantir e assegurar um crescimento econômico, resgatando os valores da democracia. “A melhor via de defesa da democracia é a proteção aos pobres, proteção ambiental e recuperar o prestígio e carinho que o país já teve. O Brasil está vivendo sob ameaças pelo próprio presidente da política”, indagou. 

Dória criou o maior programa social já anunciado pelo governo de SP, Bolsa do Povo que visa beneficiar pessoas de forma direta e indireta. Além disso, anunciou investimentos altos em concessão de rodovias, como a do km 1372, da região noroeste, de  R$ 15,2 milhões, que garante mais de 3 mil empregos. Com investimento de R$ 7 bilhões, a concessão da Linha 6 de Metrô, considerada a maior linha metroviária do Brasil, já possui mais de 2,5 mil trabalhadores e atingirá 10 mil ao total. 

Atualmente, São Paulo é uma cidade sem papel, através do programa de desburocratização. “Tudo é feito digitalmente, conseguimos implementar um estado sem papel. Também melhoramos a questão da burocracia para abrir um negócio, Há três anos atrás, para ter uma empresa precisava esperar 126 dias, hoje em dia em 24 horas já é possível ser um empreendedor, um padrão que vem da China”, destacou.