Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Deu Ríver!

Final de Libertadores emocionante, longe da América e com virada em clássico
Redação
Por Redação Madri, ESP, 09/12/2018 - 20:52Atualizado em 09/12/2018 - 20:53
Divulgação
Divulgação

Foi uma super decisão. Com todos os requintes de uma final. Só faltou ser na casa do campeão. Não tivesse o ônibus do Boca Juniors sido apedrejado no dia da decisão original e o Ríver Plate, mantida a lógica deste domingo, teria comemorado o tetracampeonato da Taça Libertadores no seu Monumental de Nuñez.

O Ríver venceu o rival Boca de virada, por 3 a 1, no Santiago Bernabéu, a casa do Real Madri. Cerca de seis mil argentinos viajaram desde a América do Sul até a capital espanhola. A lotação ficou garantida pelos outros muitos argentinos e fãs do futebol sul americano na Europa. E viram um jogo intenso, com virada no placar e decisão na prorrogação.

O jogo

A vantagem do Boca Juniors no primeiro tempo veio com o gol de Benedetto, aos 45 minutos. Nandez puxou o contra-ataque e rolou para o artilheiro, que limpou de Maidana e tirou de Armani para colocar na rede: 1 a 0.

No segundo tempo, o Ríver chegou ao empate com o atacante Lucas Pratto, aos 23 minutos. Nacho Fernandez avançou em velocidade, em um contra-ataque, e encontrou Palácios, ele rolou para Pratto que, bem posicionado, mandou para a rede: 1 a 1.

Veio a prorrogação, e os futuros campeões souberam tirar melhor vantagem. O Boca teve Barrios expulso logo no primeiro minuto. Depois de uma primeira etapa movimentada, os gols que definiram o título saíram no segundo tempo. Quintero, aos 3 minutos, virou o placar. Jara teve a chance do empate aos 14, mas acertou a trave. Pity Martinez, em novo contra-ataque, fechou o placar em 3 a 1 aos 16 minutos.

O Ríver Plate sagrou-se campeão da América jogando com Armani, Montiel (Mayada), Maidana, Pinola e Casco, Ponzio (Quintero), Enzo Pérez, Palacios (Álvarez) e Ignácio Fernandez (Zuculini), Pity Martinez e Lucas Pratto.

Agora, Mundial

Definido o campeão da América, começa na quarta-feira o Mundial de Clubes da Fifa. O time da casa, o Al Aín dos Emirados Árabes Unidos, vai abrir a competição contra o Team Wellington, da Nova Zelândia. Quem vencer joga no dia 15 as quartas de final contra o Espérance, da Tunísia. No mesmo dia, jogam Kashima Antlers, do Japão, e Chivas Guadalajara, do México, valendo uma vaga na semifinal contra o Real Madri.

O River Plate fará sua estreia no dia 18, em Al Aín, contra quem sair dos confrontos de Espérance, Al Aín e Team Wellington. No dia 19 é a vez da estreia do Real Madri, contra o vencedor de Kashima e Chivas. Os perdedores vão brigar pelo terceiro lugar, e os ganhadores disputam o título. Os dois jogos decisivos ocorrerão em 22 de dezembro.

O atual campeão mundial é o Real Madri, que na final do ano passado venceu o Grêmio.