Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Deputados ficam indignados com o edital dos pedágios

Ricardo Guidi, Geovania de Sá e Volnei Weber querem reunião urgente com o ministro Tarcísio Freitas
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 21/10/2019 - 08:33Atualizado em 21/10/2019 - 08:37
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

O Fórum Parlamentar Catarinense, formado pelos senadores e deputados federais de Santa Catarina, além do reforço de prefeitos e deputados estaduais, estiveram em Brasília, para uma reunião com lideranças da ANTT. E segundo eles, ficou decidido que o edital para a instalação das praças de pedágio seria adiado, até que uma reunião acontecesse com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. Mas, não foi o que aconteceu.

“Aquele compromisso deixou de ter valor, parece coisa de moleque, de quem não tem compromisso. Ainda vamos voltar à carga, com o ministro Tarcísio Freitas. O que foi colocado é que a população não aceita aquela tarifa que está sendo posta, lembrando que a região sul já foi muito prejudicada pelo atraso na duplicação da BR-101, por uns 20 anos, o norte conseguiu se desenvolver antes”, disse o deputado Ricardo Guidi (PSD).

Na sexta-feira, 18, o Ministério da Infraestrutura informou que o cronograma para o lançamento do edital estava mantido, com o preço máximo para cobrança em cada praça na faixa de R$ 5,19. A empresa vencedora da licitação terá que fazer investimentos de R$ 2,9 bilhões na rodovia. Para a deputada Geovania de Sá (PSDB), a manutenção da BR-101 é importante, mas não podem existir quatro praças e o preço deve ser menor.

“Nós fomos pegos de surpresa na sexta-feira à tarde, porque a informação não bateu com a nossa reunião na ANTT quarta-feira. O combinado é de que não publicariam o edital antes de irmos conversar com o ministro Tarcísio. Ficamos sabendo pela imprensa e nos sentimos traídos, não foi isso que tratamos naquela reunião”, afirmou.

O deputado estadual Volnei Weber (MDB) disse que a decisão de manter o edital não foi uma surpresa. Citou que durante a ida até Brasília os dois lados puderam falar, mas as solicitações dos parlamentares de Santa Catarina não foram ouvidas. 

“A ANTT disse que não tinha condições de mudar alguma coisa, mas quem poderia fazer isso era o ministro da Infraestrutura, então pedimos que eles segurassem até essa conversa. Em nenhum momento saiu da minha fala que o edital foi cancelado ou prorrogado, mas neste combinado, sem nenhum documento assinado, ficou claro que eles iriam segurar o lançamento do edital”, frisou.

Reunião com Tarcísio

O combinado era que o edital não seria publicado até uma reunião com o ministro Tarcísio Freitas. Nesta semana, na quarta-feira, 23, haveria uma reunião com ele, mas o compromisso foi reagendo para o dia 30. “O que chegou até nós é que a reunião foi remarcada porque o ministro iria viajar, e se ele for viajar, queremos conversar com alguém que tem autonomia para falar sobre este assunto”, contou Geovania.

Redução na tarifa

Além de reduzir o número de praças, fazendo um espaçamento maior entre elas, outra solicitação é para que a cobrança da tarifa seja menor. “A gente tem que discutir melhor essa planilha, se esses investimentos realmente são importante para o sul. Tem que ver até o ponto que estes investimentos são necessários”, disse Ricardo Guidi.