Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

De volante a artilheiro do Brasil, Gustagol não passou pela base

Em entrevista, atacante, fazendo sucesso no Corinthians, lembrou como chegou ao Criciúma
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 01/03/2019 - 12:33Atualizado em 01/03/2019 - 12:43

Maior goleador do futebol brasileiro em 2018 com 30 gols, o atacante Gustavo Henrique, o Gustagol, hoje é destaque do Corinthians. Em entrevista ao programa De Sola, do YouTube, comandado por Alê Oliveira, revelou que não teve formação em categoria de base. Com 19 anos ainda jogava na várzea, depois veio direto da Copa São Paulo para o Criciúma.

"Eu cheguei no Taboão da Serra faltando poucos dias para acabar as inscrições da Copa São Paulo, era meu último ano de Copa São Paulo. Eu jogava na várzea da minha cidade, aí cheguei no CATS (Clube Atlético Taboão da Serra) para uma avaliação", contou Gustagol. Segundo ele, ganhou mais dinheiro na várzea do que no Taboão da Serra.

Diferente do goleador que é hoje, nos tempos de amador Gustagol jogava como volante. “Marcava pra caramba. Aí eu pedia para jogar na frente e fui lá fazer uns golzinhos", destacou. Contratado pelo CATS, o jogador disputou a Copa São Paulo de 2016 e foi artilheiro. "Depois eu fui para o Criciúma, direto no profissional", comentou o atacante. Disse ainda que não comemoraria gol contra o Tigre.

Recentemente ele teve o contrato com o Corinthians renovado até 2022, a multa é de R$ 209 milhões. Os direitos econômicos de Gustavo são divididos em 45% do Corinthians, 35% do Criciúma e 20% do Taboão da Serra. O jogador tem 24 anos e é bem visto pelo futebol europeu. 
 

Tags: gustagol