Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Criciúma já registra seis homicídios nos primeiros 45 dias do ano

Se somadas todas as mortes violentas ocorridas na cidade no mesmo período, número sobe para nove
Por Vanessa Amando Criciúma, SC, 16/02/2019 - 06:22
Delegado afirma que quatro dos seis homicídios já foram esclarecidos
Delegado afirma que quatro dos seis homicídios já foram esclarecidos

Nos primeiros 45 dias de 2019, seis homicídios já foram registrados na cidade de Criciúma. Se comparado com o mesmo período do ano passado, quando houve o registro de três assassinatos, os números dobraram. As informações são da Polícia Civil, responsável pela investigação dos casos. De acordo com o delegado André Milanese, da Divisão de Repressão a Homicídios da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma, quatro destas seis mortes já foram solucionadas.

A lista de homicídios teve início logo na madrugada do primeiro dia do ano, quando Sidnei Leriano da Rocha foi morto a facadas pelo ex-cunhado, no bairro Bosque do Repouso. No dia seguinte, mais dois assassinatos: Jandir dos Santos José, de 35 anos, faleceu estrangulado por um jovem de 19 anos no Presídio Santa Augusta; o outro óbito foi de Florisvaldo Pereira, estrangulado e esquartejado no São Luiz.

Já no dia 23, um jovem foi encontrado morto no bairro Boa Vista e o corpo apresentava sinais de tiros. A vítima foi identificada somente nesta semana e trata-se de Rafael da Silva, de 23 anos. O quinto homicídio foi de Otávio Tomaz Filho, encontrado morto no dia 30, no bairro Paraíso. O assassinato mais recente foi na última segunda-feira, dia 11, quando o jovem João Victor Domingos, de 18 anos, foi morto a tiros no bairro Cristo Redentor.

“Desses seis homicídios, quatro já foram solucionados, pois identificamos os autores desses quatro crimes. Inclusive, dois homens responsáveis por dois homicídios estão presos. Um criminoso responsável por um dos casos está foragido. E um outro caso solucionado teve três adolescentes como autores, mas eles seguem em liberdade”, detalha Milanese.

Sobre a motivação dos crimes, a autoridade policial explica que apenas um deles tem ligação com o tráfico de drogas; outros três estão relacionados a rixas ou discussão entre as partes, resultando em morte. O delegado ressalta que não há como informar a motivação dos outros dois casos que ainda não foram solucionados (do dia 23 de janeiro e dia 11 de fevereiro).

Mortes violentas

Se todas as mortes violentas de 2019 forem contabilizadas, o número de homicídios em Criciúma sobe para nove. Isto porque, na madrugada do dia 12 de janeiro, o corpo de Wilson Aguiar de Souza, de 43 anos, foi encontrado no bairro Operária Nova. Ele teria sido agredido e atropelado intencionalmente, mas a Polícia Civil classificou o caso como latrocínio (roubo seguido de morte) e não apenas como homicídio.

Além disto, no dia 17, uma mulher faleceu vítima de infarto após ser agredida pelo marido. O caso aconteceu no São Luiz e, como a causa da morte foi o infarto, as autoridades policiais não o caracterizam como homicídio, mesmo que o falecimento tenha ocorrido por conta das agressões do esposo. Já no dia 2 de fevereiro, um adolescente de 17 anos morreu no bairro Boa Vista após trocar tiros com a Polícia Militar (PM). De acordo com a Polícia Civil, o caso entra no quadro de estatísticas de morte violenta, mas não de homicídios.