Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Criciúma em tratativas para o SAER mudar de endereço

Administração Municipal propõe uma permuta de terrenos com o Governo, mas nada foi definido
Por Vanessa Amando Criciúma, SC, 15/02/2019 - 07:33
Foto: Daniel Búrigo / A Tribuna / Arquivo
Foto: Daniel Búrigo / A Tribuna / Arquivo

Uma reunião, em Florianópolis, tratou a respeito da possível mudança de endereço do Serviço Aeropolicial (SAER) da Polícia Civil, em Criciúma. A proposta da Administração Municipal é uma permuta de terrenos entre a Prefeitura e o Governo do Estado. Na prática, Criciúma doaria um terreno para ser a sede própria do SAER na cidade; em troca, receberia um terreno do Estado. O objetivo é gerar economia para o Governo de Santa Catarina, que hoje gasta com o aluguel do atual espaço usado pelo SAER, além de proporcionar uma estrutura mais adequada para os profissionais do Serviço.

O secretário executivo da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC), Acélio Casagrande, participou do encontro e adianta que a oferta principal foi de um terreno localizado ao lado do Parque dos Imigrantes, no Distrito de Rio Maina. “Foi uma reunião inicial, manifestamos o interesse de Criciúma em fazer essa mudança, o terreno próximo ao Parque dos Imigrantes é bastante adequado, mas ainda não tem nada fechado”, salienta.

Ainda segundo ele, o passo seguinte é a Prefeitura enviar um documento à Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado para demonstrar este interesse e apresentar as possibilidades. De acordo com o comandante do SAER na cidade, delegado Gilberto Mondini, o principal motivo da mudança é partir de um local alugado para uma sede própria, mas ele também destaca a necessidade de melhores instalações para a equipe.

“Precisamos de uma base própria e com infraestrutura melhor. O local que estamos hoje supriu as necessidades iniciais, mas não atende todas as especificações que precisamos. Ele foi adaptado para o nosso serviço, mas de forma limitada”, afirma.

Conforme Mondini, a base do SAER não é ideal para pousos e decolagens, pois fica muito próxima da rodovia e o heliponto está abaixo do nível da estrada. Também há bastante obstáculos, como fiação elétrica, árvores e postes. O próprio hangar fica muito perto do ponto de pouso. “Ele tem cozinha, alojamento, banheiro, mas é limitado, principalmente para quem pernoita no local, pois o serviço é 24 horas”, finaliza o comandante.

O secretário Casagrande reforça que “o objetivo é manter o SAER de toda forma na cidade, mas com uma base própria. Feito isso, vamos tentar viabilizar uma aeronave própria também, que hoje é alugada”. Além dele, participaram do encontro o prefeito Clésio Salvaro, o vereador de Criciúma Tita Beloli, o secretário da Administração do Estado, Jorge Eduardo Tasca, o secretário-adjunto da pasta, Luiz Antônio Dacol, e o coordenador do SAER em Santa Catarina, delegado Djalma Alcântara da Silva.