Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Boxeador, que matou mulher com barra de ferro, alegou legítima defesa

Homem se entregou na tarde de ontem; Crime aconteceu na madrugada de domingo
Clara Floriano
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 06/12/2017 - 09:43Atualizado em 06/12/2017 - 09:47

No último domingo (3) um crime chocou o bairro Mato Alto, em Araranguá. O boxeador Claudinei Rodrigues Lacerda, conhecido como Casca, matou a tia da ex-companheira com uma barra de ferro. A mulher, de 43 anos, foi encontrada pela Polícia com traumatismo craniano e hemorragias, ela chegou a ser encaminhada ao Hospital regional de Araranguá, mas não resistiu e acabou falecendo. O marido da vítima, também de 43 anos, foi encontrado com sinais vitais alterados. Ele segue internado no HRA.

Desde o dia do crime policiais civis da Central de Plantão Policial, 1ª DP, Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) e Divisão de Investigação Criminal (DIC) procuravam por Casca, mas só ontem ele se apresentou à delegacia.

 “Ele, de maneira fria e tranquila, simplesmente alegou legítima defesa. Ele disse que apenas se defendeu das agressões das duas vítimas e de mais um terceiro que ele não soube dizer quem é. Aparentemente não mostrou lesões corporais, por isso foi encaminhado a um médico legista. O inquérito vai ficar na delegacia por dez dias e depois vai ao Ministério Público e ao Judiciário.  Aí dependendo do andamento do processo não dá pra dizer quanto tempo ele vai ficar preso e pode ir a júri popular”, contou Jair Pereira Duarte, delegado e responsável pelo inquérito conta Casca.