Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Beto Martins empolgado em ser presidente do PSDB

Empresário falou sobre o Porto de Imbituba e política ao Programa Adelor Lessa
Erik Behenck
Por Erik Behenck Imbituba - SC, 04/03/2019 - 10:49
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

O Porto de Imbituba tem uma ótima entrada para navios, quem garante é o administrador de um dos terminais, Beto Martins, que também é ex-prefeito da cidade, suplente do senador Jorginho Mello e possível presidente do PSDB em Santa Catarina. Em entrevista ao Programa Adelor Lessa falou sobre o porto e política.

“Eu acredito que quando a estrada da Serra da Rocinha estiver pronta vai melhorar muito. Eu tenho certeza que isso vai trazer muito desenvolvimento para o Porto de Imbituba e todo o Sul de Santa Catarina”, afirmou. A unidade possui quatro terminais logísticos arrendados, para minérios, containers, cargas gerais e o de Beto. “Tem o nosso terminal de grãos e produtos químicos, que eu dirijo com uma empresa nacional”, disse.

Mencionou as questões que impedem um aproveitamento maior da unidade. “Quem define o destino do container é a dona do navio. Quis o destino que eles investissem em Santa Catarina. Eles tem concentrado mais essa força nos portos do Norte, nós temos que admitir que a maior força catarinense está no Norte, então eles levam pela força de atração. A gente luta para que alguma companhia possa voltar”, explicou.

Presidência do PSDB

Beto Martins se mostrou interessado em assumir a função, mas citou algumas questões que podem impedir isso. “Não existe nada acertado, mas muita conversa. O partido precisa partir para um rumo de consenso. Eu fico muito feliz de estar sendo lembrado para dar uma cara de gestão ao partido. Porém, isso ainda passa pelo entendimento do Clésio (Salvaro), da Geovania (de Sá), do ex-senador Paulo Bauer e do ex-senador Dalírio Beber”, disse.

De acordo com Beto Martins, é importante tratar o partido assim como outras questões da vida, fazendo um planejamento adequado. “O PSDB tem um papel importantíssimo na construção desse novo Brasil após a ditadura e eu acho que ainda podemos trazer para o centro das discussões”, destacou. Citou ainda que avaliar a postura do partido após a eleição é mais fácil, sendo que na época não criticaram a aliança com o MDB.