Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Avicultura: Estado não deve ser afetado por polêmica na China

Qualidade e cuidados de Santa Catarina são reconhecidos e respeitados, aponta empresário do setor
Gregório Silveira
Por Gregório Silveira 18/08/2020 - 14:09Atualizado em 18/08/2020 - 16:09
Foto: divulgação
Foto: divulgação

O Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo. Nesse cenário, Santa Catarina aparece na frente dos demais estados como gerador de superavit para a balança comercial brasileira. Na última semana uma informação fez o setor mudar o foco. A situação começou após uma notícia, vinda de uma cidade do sul da China, que alegava ter identificado coronavírus em uma asa de frango congelada importada de um frigorífico de Santa Catarina. 

Segundo o presidente da Associação Catarinense de Avicultura (Acav), José Antônio Ribas Júnior, em entrevista ao programa 60 minutos, da Rádio Som Maior, contraprovas estão sendo feitas no mesmo lote "Ainda não é oficial, mas pelo que recebemos de informações, os testes deram negativos. Além do mas, não tem como o produto ter saído infectado daqui. Nós somos referência mundial em sanidade animal e em protocolos de segurança", afirma Ribas.

Depois desse episódio o setor nacional e, consequentemente o catarinense, partiram para adoção de agendas positivas. "Em um (Agenda) estamos auxiliando a China a resolver o problema que provavelmente aconteceu no destino. Já em outra estamos conversando com países consumidores para reforçar nossa qualidade na criação e exportação de carne de frango", adiantou José Ribas. 

Ribas acredita que a notícia vinda da China não deve ter tanto impacto nas exportação brasileiras pois os países consumidores conhecem os cuidados sanitários de Santa Catarina e do Brasil. "Esperamos continuar com bons números. Julho foi um mês que aumentaram as exportações catarinenses em 16% em relação a junho e 5% se comparado ao mesmo período de 2019", encerrou o presidente da Acav.