Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Após áudio vazado, Edson Gaúcho está fora do Criciúma

Diretor de futebol disse que o presidente é o único sem culpa em relação a campanha da equipe na Série B
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 27/10/2017 - 15:57Atualizado em 27/10/2017 - 16:07
(foto: Erik Behenck)
(foto: Erik Behenck)

Edson Gaúcho não é mais diretor de futebol do Criciúma Esporte Clube. Após ter um áudio vazado, onde entre outras coisas falava mal dos jogadores, o dirigente acabou sendo desligado do time. O anúncio foi divulgado em coletiva, na tarde desta sexta-feira (27).

O agora ex-diretor de futebol afirmou que nunca teve problemas durante as viagens, mas que sempre cobrou profissionalismo, porém alguns jogadores não entenderam as atitudes tomadas por ele.

“O presidente fez tudo o que podia. A responsabilidade do clube é a minha, eu sempre vou cobrar profissionalismo em os clubes que eu for trabalhar. Eu errei, mas acertamos, isso faz parte do futebol”, destacou.

Ele acredita que sua passagem pelo Criciúma tenha sido a mais delicada da carreira, não atingindo o maior objetivo, que era o acesso para a Série A. “Se eu tive uma decepção com futebol, essa foi a maior de todas. O Criciúma tinha todas as condições de subir. A única pessoa que pode ser isentada é o presidente. Nós não fomos competentes, desde a direção de futebol, a comissão técnica e os atletas”, afirmou.

O ex-dirigente disse que o Criciúma tem uma boa estrutura para a formação de atletas. Mas para o clube entrar nos trilhos, será fundamental apoiarem Jaime Dal Farra. “Eu vejo o Criciúma crescendo dentro do futebol brasileiro. Espero que as pessoas possam ajudar o presidente, se não é muito difícil”.

A relação com os jogadores sempre foi polêmica durante sua passagem pelo clube. Ele negou que alguns atletas tenham dito que não ficariam se ele continuasse. “É mentira, não teve isso e nenhum atleta tem a capacidade de falar isso”, garantiu Edson.

Para finalizar, Edson Gaúcho falou sobre o que pretende fazer após a saída do Criciúma. “Como técnico não é fácil, mas como diretor é pior ainda. Agora eu vou pegar uma praia, voltar para a academia e cuidar da minha mulher”, completou.