Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Angela Mello e Paiol falam sobre a cassação

Vereadora perdeu o mandado. Suplente do PP deve assumir em dez dias
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 20/11/2018 - 08:23Atualizado em 20/11/2018 - 08:26
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) retirou o mandato da vereadora de Criciúma Angela Mello (MDB), que havia assumido na vaga do também cassado Daniel Freitas (PSL). Ficou definido por unanimidade que a cadeira pertence ao Partido Progressista (PP). PP e MDB são da mesma coligação, fato que não foi aceito pelo Tribunal. O Programa Adelor Lessa ouviu a vereadora, o suplente Paiol e o advogado do PP.

“Vamos ver se cabe alguma situação para dar qualquer encaminhamento em relação a essa cassação”, afirmou Angela. “Eu sou uma pessoa de posicionamento, as pessoas sabem que estou na condição de vereadora. Com isso, todo e qualquer comentário meu é muito prematuro. A prioridade é legislar, e farei isso enquanto não houver a notificação de fato”, completou a atual vereadora.

Sobre a renúncia, Angela Mello disse que “é prematuro falar sobre isso”. De acordo com o advogado do PP, Alessandro Abreu: “Qualquer coisa que ocorra após o julgamento, já tem uma manifestação escrita, o motivo é a decretação da perda do mandato”. Ele lembra ainda que agora basta aguardar os embargos de declaração, que não mudam o resultado do julgamento.

A vaga na Câmara de Vereadores será ocupada por Edson Luiz do Nascimento, o Paiol (PP). “Nosso posicionamento vai ser esperar a publicação, num prazo de dez dias. Eu tô muito tranquilo nisso e vamos deixar que as coisas aconteçam naturalmente”, afirmou. Paiol garantiu ainda que não possui acordos para eleição da Câmara.