Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“Achamos que foi por ação humana”

Segundo delegado Márcio Campos Neves, possibilidade de curto-circuito foi descartada
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 11/09/2017 - 07:45Atualizado em 11/09/2017 - 07:48

O delegado da Divisão de Furtos e Roubos da Central de Polícia de Criciúma, Márcio Campos Neves, afirmou, nesta segunda-feira (11), que a Polícia Federal assume as investigações do incêndio que atingiu o Centro Cultural Jorge Zanatta na manhã de domingo (10).

Segundo Neves, a polícia aguarda a perícia do Instituto Geral de Perícias (IGP) e do Corpo de Bombeiros. “O Corpo de Bombeiros constatou que aquele prédio já não tinha energia elétrica, por isso, achamos que não foi curto-circuito. Achamos que foi por ação humana. Resta saber se foi de propósito ou sem intenção”, explicou.

Neves explica que a Polícia Federal deve chamar o vigilante noturno que trabalhava no local para prestar depoimento e ajudar a esclarecer o incêndio. “O IGP tem um prazo legal de 10 a 15 dias para emitir o laudo, mas como é uma situação complexa eles podem demorar um pouco mais”, esclareceu Neves.

Ainda de acordo com Neves, no Dia dos Pais desse ano aconteceu uma situação semelhante.