Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

“A nossa prioridade é estar na majoritária”, diz presidente do DEM de Criciúma

Lisiane Tuon foi convidada para ser a vice de Kaminski
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 27/02/2020 - 08:35Atualizado em 27/02/2020 - 08:45
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

A prioridade do Democratas em Criciúma para as eleições municipais deste ano é concorrer com uma vaga na majoritária. A recomendação foi tomada na noite desta quarta-feira, 26, pela presidente do partido em Criciúma, Lisiane Tuon, e seu vice, Alexandre Costa, em conjunto com o presidente estadual do DEM, João Paulo Kleinübing. 

Com a decisão, há a possibilidade do partido lançar um pré-candidato(a) à Prefeitura Municipal. Lisiane Tuon, é uma das cotadas. “Entendemos que o DEM hoje consegue se posicionar para concorrer à uma vaga da majoritária. Não necessariamente o meu nome, a gente até tem conversas com outras pessoas que estão querendo vir. Estou à frente do partido, então meu nome acaba sendo lembrado pelos pré-candidatos à vereadores”, destacou Lisiane.

Outra opção para o DEM para as eleições de 2020 é sair com um candidato à vice-prefeito. Na semana passada, o pré-candidato do PSL, Júlio Kaminski, afirmou querer que Lisiane seja a sua vice. “Se as pessoas do partido entenderem que essa opção [se candidatar como vice de Kaminski] é o melhor caminho pro DEM eu não vejo porque não. Essa decisão eu não irei tomar sozinha, mas sim com o nosso grupo de pré-candidatos”, disse a presidente do partido no município.

Segundo Lisiane, o Democratas se encontra em um período de construção partidária no momento, um processo de estruturação de um partido que antes estava esquecido e que tem condições de mostrar o melhor para o município.

Sobre a possibilidade do partido abrir mão da majoritária para uma aliança na campanha de reeleição de Salvaro, a presidente do DEM de Criciúma descarta. “Nesse momento acaba sendo descartada essa possibilidade, mas nós sabemos que a política terá muita conversa até junho. Hoje a nossa prioridade é estar na chapa majoritária”< concluiu.