Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

A ideia de cortar pela metade o valor do duodécimo 

Medida está entre as ações encaminhadas pelo Observatório Social e Forcri no mês passado para diminuir os gastos do legislativo
Vitor Netto
Por Vitor Netto Criciúma - SC, 03/01/2020 - 14:25Atualizado em 03/01/2020 - 14:42
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O presidente da Câmara de Vereadores, Miri Dagostim (PP), realizou na manhã desta sexta-feira, 3, o repasse do valor de R$ 8,157 milhões, referente ao duodécimo, ao município. O valor é o mais alto da história do repasse, o que mostra que o Legislativo tem deixado sobras do dinheiro nas suas contas. Ainda no mês passado, o Observatório Social de Criciúma, juntamente com a Forcri, lançaram um documento solicitando diversas medidas à Câmara de Vereadores para a redução dos gastos e entre essas solicitações estava a redução pela metade do valor de repasse do duodécimo

"O repasse da Câmara de Vereadores para a Prefeitura foi alto porque o legislativo também recebeu um valor mais alto o que acabou sobrando mais dinheiro", coloca o presidente do Observatório Social, Sinésio Volpato. 

De acordo com Sinésio, o repasse poderia ser realizado de outra forma. "Nós achamos que deveria ser devolvido mensalmente a sobra, ou então um valor próximo da sobra. Isso  faria com que o valor não ficasse represado para ser resolvido, pois tem carência e o município faria bom uso desse recurso", comenta Volpato. 

A solicitação foi feita ainda no final do ano passado e deve ser retomada no começo deste ano. "A ideia é de que no início de fevereiro, nós voltaríamos a conversar com a câmara para conversar e esperamos que o assunto seja retomado", completa.