Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Primum Non Nocere: antes de tudo, não fazer mal ao paciente

Por Renato Matos 26/03/2021 - 07:31Atualizado em 26/03/2021 - 07:33

Frente a difusão do uso da inalação de comprimidos de cloroquina macerados e diluídos em soro fisiológico como tratamento para a Covid-19, a Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia veio a público esta semana para alertar sobre os riscos de tal procedimento.

“Em nenhuma diretriz para tratamento de nenhuma doença é recomendado o uso de comprimidos por via inalatória”.

Medicamentos para serem administradas por esta via tem formulações próprias. 

Comprimidos são produzidos especificamente para serem utilizados por via oral.

“Cabe lembrar que o comprimido tem na sua composição talco, que é um silicato e outras substâncias agressoras”. 

Quando inaladas, essas substâncias se depositam nas vias aéreas e nos pulmões, podendo causar espasmo dos brônquios, além de aumentar a já presente inflamação causada pelo coronavírus.

“O acúmulo desse material pode, inclusive, causar consequências a longo prazo como insuficiência respiratória crônica”.

” Deixamos aqui o nosso apelo para que em nenhuma circunstância seja prescrita ou administrada inalação com comprimidos macerados”.

Como li no Twitter (@fabiorodrigues): alguém administra supositório pela boca? Então, por que inalar um comprimido?

4oito

Deixe seu comentário