Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Você está casado por que quer ou por que acredita que precisa?

Ananda Figueiredo
Por Ananda Figueiredo 21/09/2017 - 21:30Atualizado em 21/09/2017 - 22:38

Se você respondeu que precisa, me diga, por que? São os filhos? Já foi constatado em diversas pesquisas que um lar sem afeto ou com constantes brigas é pior para a criança do que o contato com pai e mãe (ou mãe e mãe, ou pai e pai)  em lares diferentes. A dependência é financeira? Estabeleça um plano para ter autonomia. Mas, e se a dependência for emocional? Se você está com uma pessoa que não lhe faz mais feliz, e que você também não faz feliz, e acredita que não consegue viver longe? Neste ponto, entramos numa outra questão: ninguém consegue viver bem com o outro se não estiver bem consigo; ninguém consegue amar o outro se não ama a si mesmo. Procure compreender porque você deu a chave da sua felicidade na mão de outra pessoa e pegá-la de novo para si; procure descobrir o que lhe faz bem e faça isso por você: abra, você mesmo, a porta do seu bem estar.

Agora, se você respondeu que está casado porque quer estar, que ótimo! Neste cenário, vamos fazer uma reflexão: imagine que seu casamento é uma conta poupança. O primeiro ponto desta analogia é que, para que você possa sacar algum dia, tem que depositar periodicamente - eu só consigo sacar aquilo que depositei. Em outras palavras, quais investimentos você tem feito na sua relação? Você, que cobra carinho, tem dado carinho? Você, que quer atenção, tem depositado sua atenção no seu companheiro ou companheira? O segundo ponto é que, perceba, não falamos em uma conta corrente, mas sim de conta poupança. Ou seja, você não deposita agora para sacar amanhã! Poupanças são investimentos a longo prazo, então não faça aqui para cobrar logo ali. Neste ponto, muitos pacientes me dizem que nem sabem o que fazer ou por onde começar "seus depósitos", então vamos lá:

1) Comunique com clareza o que sente: diga abertamente quando não está bem, mas também diga a importância que o outro tem para você;

2) Construa e cultive a intimidade: encontrar um amor não garante felicidade eterna, assim como ser contratado para a vaga dos seus sonhos não lhe assegura o emprego para sempre - é necessário batalhar diariamente por aquilo que se quer;

3) Pesquisas indicam que quem consegue ver felicidade no passado da relação, vive melhor junto do outro. Mesmo que agora esteja sendo difícil, vocês não estão juntos até hoje sem terem vivido momentos de felicidade, não é mesmo? Então, sente ao lado do seu esposo ou esposa, reconstrua com ele a linha do tempo de vocês relembrando tudo de bom que viveram. Se não for possível, faça você, individualmente, este exercício.

4) Por fim, vou compartilhar com vocês um exercício que recomendo aos meus pacientes de terapia de casal:  escreva uma "carta de gratidão" ao seu parceiro. Agradeça pelos bons momentos, pelos aprendizados, pelos prazeres e sucessos, pelas conquistas, pelos sonhos. Este exercício, que foi desenvolvido originalmente por Martin Seligman, geralmente tem efeito profundo tanto em quem escreveu, quanto em quem recebeu a carta e, consequentemente, na relação.

Com tudo isso, baseado em boas memórias, eu tenho certeza que você descobrirá porquê me respondeu que quer estar casado.

 

4oito

Deixe seu comentário