Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Ser mulher, por Patrícia Guollo

Ananda Figueiredo
Por Ananda Figueiredo 05/03/2018 - 22:00Atualizado em 06/03/2018 - 09:59

Na última semana comecei a receber os convites para falar sobre ser mulher. Aceitei. Mas, percebi a limitação do meu conceito de mulher, circunscrito àquilo que EU vivi. Por isso, aqui será diferente: todos os dias, um texto escrito por uma mulher, especialmente para o blog.

Deleitem-se (ou revoltem-se) com as palavras da Patrícia Guollo*:

 

"Confesso que eu escrevi e apaguei algumas vezes para tentar achar uma definição do que é ser mulher, me recusei a usar o Google e preferi ouvir a minha voz interior. Sinceramente, eu só consigo pensar em luta. Então, tudo que eu vou escrever aqui é com o meu coração.

Se eu tivesse nascido homem eu não seria nem metade da pessoa que eu sou. Não, eu não estou diminuindo os homens. Mas cada dificuldade que eu passei por ser mulher me tornou mais forte, aprendi com elas. Então os obstáculos no meu caminho fizeram com que eu percebesse cada vez mais a minha importância no mundo, o meu valor e o meu poder de construir a minha história. Isso me mudou.

Talvez você esteja lendo esse texto e pensando: bobagem! Pois é, ser mulher me ensinou que às vezes as pessoas iriam achar que minhas dores e aflições não passavam de bobagens ou que eram coisas que eu mesma inventei. Por muito tempo acreditei nisso e carreguei o peso de uma culpa que nunca foi minha. E sim, as vezes é melhor ficar quieta. Mas que seja por opção nossa e não por opressão.

Ser mulher é lutar contra as pequenas e grandes vozes que volta e meia tentam nos calar, nos encaixar e nos fazer pensar que não podemos, ou que só podemos se seguirmos regras pré estabelecidas e nos encaixarmos em padrões inalcançáveis.

Quem é mulher sabe que nadar contra a maré todos os dias não é fácil. Por isso volta e meia a gente até agradece quando ela está a nosso favor. Essa luta está longe de acabar, porém, eu estou determinada a vencer todas as barreiras, todos os obstáculos e a falar mais alto (se for preciso) quando uma voz quiser colocar palavras na minha boca.

Digo isso porque na minha vivência ser mulher é se posicionar sempre. Mesmo sem poder medir o efeito que isso vai ter sinto que não posso mais deixar que ninguém diminua ou desmereça o que é nosso, nosso corpo, nosso comportamento, nossa forma de viver, nossas escolhas e nós mesmas. Ser mulher é somar essas pequenas vitórias com a sensação de estarmos fazendo a nossa parte em prol de um mundo melhor para todas!

Obrigada pela oportunidade de expressar o que sinto a respeito do que é ser mulher!"

 

Patrícia, obrigada eu por compartilhar o seu sentir!

 

*Patrícia Guollo e psicóloga, youtuber e escritora  no www.entrecabelosebarba.com.br.

4oito

Deixe seu comentário