Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

MLC, LVL ou CLT – Madeira “Engenheirada”

Por Arq. Rafaela Neves Edição 14/01/2022

 

100% renováveis, vindas de reflorestamentos, esses produtos já estão no mercado a algum tempo, porém o público em geral ainda não conhece. Por isso, quando falamos em colocar nos projetos alguns cliente acabam não aceitando, já que não sabem do que se trata, e nós, profissionais, perdemos a oportunidade de fazer algo diferente com um material que nos permite grandes vãos, com vigas de dimensões que não conseguiríamos em madeiras “normais”, já que são leves, possibilitam curvas e desempenham também papeis estruturais.

Hoje vamos focar na MLC (Madeira Laminada Colada). A fabricação da madeira laminada colada (MLC) reúne duas técnicas bastante antigas. Como o próprio nome indica, a mesma foi concebida a partir da técnica da colagem aliada à técnica da laminação, ou seja, da reconstituição da madeira a partir de lâminas (neste caso entendidas como tábuas).

Chama-se, portanto, "Madeira Laminada Colada" as peças de madeira reconstituídas a partir de lâminas (tábuas), que são de dimensões relativamente reduzidas se comparadas às dimensões da peça final assim constituída. Essas lâminas, que são unidas por colagem, ficam dispostas de tal maneira que as suas fibras estejam paralelas entre si.

No entanto, a Madeira Laminada-Colada (MLC) empregada na fabricação de elementos estruturais a serem utilizados na construção civil, só foi possível, com o surgimento de colas de alta resistência substituindo as ligações metálicas de braçadeiras e parafusos. Com isso, obteve-se uma seção mais homogênea e sem a ocorrência de deslizamentos entre as lâminas.

Essa técnica, que de alguma maneira surgiu também da necessidade de utilização da madeira de reflorestamento, basicamente formada por Pinus, encontrado em abundância em países do hemisfério norte, teve nessa madeira de fácil maleabilidade, a sua grande aliada. O emprego da madeira sob a técnica do laminado-colado, ainda pouco conhecida aqui no Brasil, é marcante nos países da américa do norte.

A aplicação da MLC pode ser vista sob as mais variadas formas estruturais. O seu emprego vai desde pequenas passarelas, escadas e abrigos até grandes estruturas concebidas sob as mais variadas formas estéticas. São destinadas a cobrir vãos de até 100 metros sem apoio intermediário.

Apenas para mostrar o potencial do mercado das estruturas de MLC, verifica-se que só na França, chegou a existir mais de 40 indústrias trabalhando na fabricação de estruturas de MLC, distribuídas nas diversas regiões do país.


Abaixo vamos relacionar algumas vantagens da MLC

  •  Grandes envergaduras: A MLC se caracteriza por uma alta capacidade de carga e um baixo peso próprio, o que nos permite componentes de pequenas dimensões e grandes envergaduras.
  • Formas Livres: A MLC nos proporciona uma grande flexibilidade com curvaturas, arqueadas e dobradas em sua forma.
  • Altas resistência ao fogo: Uma estrutura de MLC é mais segura que um aço desprotegido em caso de incêndio. Nesses caso a camada carbonizada é formada ao redor do núcleo reduzindo a entrada de oxigênio e calor atrasando assim o colapso.
  • Estabilidade Dimensional: A MLC é produzida em umidade de 12%, o que corresponde a uma umidade de equilíbrio de 20C e 65% de umidade relativa. O comportamento de contração e inchamento se reduz ao mínimo.
  • Material Resistente: A MLC é resistente a substancias químicas e agressivas.
  • Número menor de ligações: : Em comparação com as estruturas de madeiras feitas com peças maciças, os elementos concebidos em MLC exigem um número bem menor de ligações, uma vez que são previstos para grandes dimensões.
  • Sua Leveza: A leveza dessas estruturas oferece também maior facilidade de montagem, desmontagem e possibilidade de ampliação. Além disso, com o peso "morto" sendo menor se comparado com outros materiais, significa economia nas fundações.
  • Matéria Prima RENOVÁVEL: A matéria-prima utilizada para fabricar a MLC vem das florestas manejadas e funciona sob o princípio da sustentabilidade para as gerações. Assim, não só o nosso material bruto está sempre disponível, mas também cresce de forma constante.
  • Resistência Mecânica: Uma viga de madeira e uma de aço, com a de mesma massa, observa-se a mesma capacidade de resistência. Da mesma maneira, se for feita a comparação entre uma viga de madeira e uma de concreto, com o mesmo volume, observa-se que as duas possuem o mesmo poder de resistência, sendo que neste caso a de madeira fica aproximadamente cinco vezes mais leve que a de concreto.
     

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito