Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Vereador relaciona problemas da Festa das Etnias

Paiol reclama dos preços, da organização do evento e quer saber o resultado da terceirização para o município
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 16/09/2019 - 17:13Atualizado em 16/09/2019 - 17:28
Divulgação
Divulgação

A Festa das Etnias, cuja 31ª edição foi encerrada neste domingo, 15, no Pavilhão José Ijair Conti, pautou reclamações do vereador Edson Paiol do Nascimento (PP) na sessão desta segunda-feira, 16, na Câmara. "Hoje não é mais uma festa popular, tonrou-se uma festa para meia dúzia de pessoas", afirmou, queixando-se dos preços praticados. "Amanhã (terça-feira) estaremos entrando com um requerimento sobre essa terceirização da festa, quanto o município está arrecadando e onde está sendo colocado esse dinheiro", anunciou.

O vereador citou episódios envolvendo a programação, com atrasos que indignaram alguns grupos, como foi o caso do Movimento Negro de Criciúma que emitiu uma nota sobre o não cumprimento do estabelecido na sexta-feira, 13, quando da apresentação de um grupo típico da raça negra. "Teve essa revolta do grupo afro, teve o caso do coral do Cedup que era para se apresentar às 18h, os alunos chegaram às 17h e eles foram subir no palco depois das 20h", reclamou Paiol.

Para o parlamentar, o público se decepcionou com a festa. "Quem arrendou a festa também deve estar decepcionado, pois não tinha muita gente. Com os preços altos que praticaram, como um pai de família iria levar seus filhos na festa? Como ir numa festa dessa com menos de R$ 100 no bolso? É passar vergonha", pontuou. Paiol citou, ainda, o caso dos estacionamentos no entorno do pavilhão. "Tem o pessoal que cobra esse estacionamento fora, e não tem qualquer fiscalização. Quando teremos uma festa realmente popular?", concluiu.