Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Um dia de incertezas na prefeitura de Lauro Müller

O prefeito, que ainda não se pronunciou, está afastado. Operação Seguindo Rastro investiga irregularidades em contratação de maquinário
Denis Luciano / Vitor Netto Lauro Müller, SC, 02/12/2019 - 16:44Atualizado em 02/12/2019 - 16:49
Valdir Fontanella foi afastado do cargo por 180 dias / Divulgação
Valdir Fontanella foi afastado do cargo por 180 dias / Divulgação

A segunda-feira, 2, continua mais do que agitada em Lauro Müller. O dia começou com o prefeito Valdir Fontanella (PP) sendo afastado do cargo por conta das investigações da Operação Seguindo Rastro, do Ministério Público (MP-SC) e do Gaeco. A operação apura possíveis irregularidades na contratação de maquinários empregados em obras públicas na cidade nos últimos três anos. O MP-SC promete para o fim da tarde desta segunda um comunicado oficial sobre a operação.

Desde então o prefeito segue em lugar não sabido. Ele não tem atendido o telefone e sua assessoria promete uma manifestação por nota oficial a ser emitida até o início da noite.

Os vereadores estiveram reunidos no começo da tarde para avaliar a situação. Ficou definido, a princípio, que uma sessão extraordinária seria realizada às 18h para dar posse ao vice, Pedro Barp (PSB), na condição de prefeito pelos próximos 180 dias, atendendo à determinação da Justiça. Em seguida, porém, houve um recuo da ideia da sessão de posse do vice, pois o Legislativo recebeu orientação jurídica indicando que não é necessário o ato formal, já que o afastamento do titular inclui posse automática do vice-prefeito. Especula-se, também, que a assessoria jurídica do prefeito Fontanella esteja encaminhando a obtenção, a qualquer momento, de uma medida liminar para autorizar que ele responda à investigação no exercício do cargo.

Além de Fontanella, consta que há outros agentes públicos envolvidos na investigação. Funcionários da prefeitura e até um vereador foram chamados para prestar depoimentos ao MP-SC. Trabalhadores ligados à empresa do prefeito também foram ouvidos. Uma equipe do Gaeco foi até o pátio de máquinas da prefeitura, onde mantiveram contato com servidores e buscaram relatórios e documentos relacionados ao objeto da denúncia, que é a contratação de máquinas.

Confira também:

Em meio à crise, vice assume em Lauro Müller

Prefeito afastado: por enquanto, silêncio em Lauro Müller