Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Tubarão luta para manter locomotiva do Museu Ferroviário

Entenda porque a cidade de Miguel Pereira quer a locomotiva tubaronense
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 03/09/2018 - 10:51Atualizado em 03/09/2018 - 10:58
(foto: Divulgação/ PMT)
(foto: Divulgação/ PMT)

O prefeito de Miguel Pereira (RJ), André Português, visitou há aproximadamente um mês o Museu Ferroviário de Tubarão e se encantou com a locomotiva Baldwin 53, fabricada em 1920, e que realizava o transporte de passageiros na região. Após isso, um ofício, contendo uma cópia do Diário Oficial da União, chegou às mãos dos responsáveis pelo Museu, onde era tratado um termo de cessão de uso da máquina à cidade fluminense. Já que o acervo é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), a transferência poderia acontecer sem interferências.

“Isso é uma violência. Um atentado não só contra Tubarão, mas contra o Sul do Estado, contra a nossa história.  A Locomotiva 53 fazia o transporte de passageiros desde a década de 20. Ela representa a história ferroviária do Sul de Santa Catarina. O Ministro dos Transportes, mais o prefeito Miguel Pereira, articularam sem nenhuma consulta à Tubarão, num desrespeito total. O Ministro fez a cessão deste equipamento. Ficamos sabendo por um comunicado do Dnit. Essa locomotiva foi reformada com recursos da comunidade. Aqui em Tubarão tem um dos mais importantes museus ferroviários do mundo”, afirmou o prefeito Joares Carlos Ponticelli.

Segundo Ponticelli, a locomotiva foi reformada apenas para exposição e não pode ser colocada em funcionamento, uma vez que a caldeira pode explodir. “E o prefeito quer para ser colocado em funcionamento. Isso não vai dar certo, não tem como funcionar. E o prefeito está intransigente. Foram ofertadas outras locomotivas, mas ele insiste naquela. Me parece que contrariando a própria comunidade local. Ele está insistindo na nossa locomotiva à vapor que conta a história da nossa cidade”, revelou.

Diante desta situação, a prefeitura de Tubarão encaminhou, em regime de urgência, à Câmara de Vereadores, o Projeto de Lei no 076, que dispõe sobre a preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Natural do Município de Tubarão e cria o Conselho Municipal do Patrimônio Cultural e institui o Fundo Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural de Tubarão.

O objetivo é que todo o acervo do Museu Ferroviário seja tombado pelo Patrimônio Histórico, assim como demais obras e objetos com cunho patrimonial e histórico relevante para a cidade e que por ventura sejam alvo de situações como a que vive atualmente a locomotiva cobiçada pela cidade de Miguel Pereira, no estado do Rio de Janeiro.

“Há quem questione a legalidade do município para fazer isso, mas nós vamos fazer. É mais um impeditivo que vamos criar. A Fundação Catarinense de Cultura deu abertura, e deve mandar aos técnicos a Tubarão hoje, no processo de tombamento estadual e o Ministério Público Federal e Estadual vão ingressar nesta semana com uma ação para tentar impedir a retirada deste equipamento daqui”, afirmou.

Com informações da Prefeitura de Tubarão.