Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“Tem coisas para ninguém colocar defeito”, diz Tony Belloto sobre o show do Titãs

Banda se apresenta em Criciúma na sexta-feira. Guitarrista concedeu entrevista ao Do Avesso e falou sobre o atual estilo de apresentação
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 03/04/2018 - 14:23Atualizado em 03/04/2018 - 15:18
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

A noite de sexta-feira (6) será histórica para Criciúma. Os Titãs se apresentam no AM Master Hall e no Programa do Avesso desta terça-feira (3), o guitarrista Tony Bellotto deu uma palhinha do que vem por aí. O Titãs surgiu com oito integrantes, mas saídas aconteceram já nos primeiros anos.

“No início éramos uma banda muito numerosa, éramos oito. Todos com uma personalidade muito forte, então não tínhamos um líder. A cada mudança precisamos nos reinventar e novas formas de se expressar, isso que vai mantendo a gente vivo. Até os que saíram da banda mantemos contato, e estão na banda com suas músicas”, disse Bellotto.

O guitarrista lembrou que os Titãs surgiram em um momento onde o rock tinha destaque no cenário nacional. Hoje ele sente falta de espaço na televisão, por outro lado, imagina que a situação pode mudar novamente nos próximos anos. O músico falou também sobre a escolha de Beto Lee como novo integrante da banda.

“Sempre quando alguém sai é muito difícil. Existe um questionamento em relação àquilo que está fazendo e a gente decidiu seguir. Nos dias seguintes eu já olhei para o Britto e o nome do Lee surgiu ao natural, é um cara que tem conhecimento de rock e adequado ao tipo de música que a gente faz”, explicou.

No início, com tantos membros no grupo ficava difícil escolher as músicas para os discos, já que muitos deles escreviam. Tony Bellotto destacou ainda que as letras podem refletir o momento do país. O guitarrista pensa que a internet trouxe muitos benefícios, embora tenha complicado a venda de álbuns.

Nos momentos vagos gosta de escrever, já tendo lançado nove livros, sendo que alguns deles se tornaram filmes. “Eu gosto de escrever, eu lanço livros, romances. Quando não estou com o Titãs gosto de escrever. Na música não tenho vontade, pois, me realizo plenamente com os Titãs”.

Para fechar a entrevista, ele falou um pouco sobre os shows atuais da banda e se mostrou feliz com a renovação de público. “A gente tem feito show que representa o Titãs em cada fase desses 36 anos. Tirando a música do Raul, tocamos só as nossas coisas. Tocamos coisas desde os primeiros trabalhos, com Go Back, Marvin, passando pelo Cabeça Dinossauro, com AAUU e Polícia, até o acústico Epitáfio. Tem coisas para ninguém colocar defeito”, afirmou.

Titãs em Criciúma

Os Titãs se apresentam em Criciúma no dia 6 de abril, no AM Master Hall, a partir das 22 horas. Os ingressos estão à venda nas Lojas Ávila Cia da Saúde, nas ruas Lauro Müller e Coronel Pedro Benedet, em Criciúma ou pela internet, no site Blueticket. A apresentação irá comemorar os 50 anos da Unesc, em parceria com a Rádio Som Maior.