Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Taróloga: O Brasil não vencerá a Copa e o Tigre dificilmente subirá

Gisele Pereira afirmou ser impossível prever o campeão mundial
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 08/01/2018 - 15:58Atualizado em 08/01/2018 - 16:01
(foto: Amanda Farias)
(foto: Amanda Farias)

O ano recém começou, mas os torcedores estão ansiosos para o início da temporada 2018 do futebol brasileiro, e claro, com a disputa da Copa do Mundo. No primeiro Programa do Avesso da temporada, a convidada foi a taróloga, médium clarividente e psicoterapeuta Gisele Pereira, que afirmou ser impossível prever o campeão mundial, mas que não será a Seleção Brasileira.

“A previsão é de que (o Brasil) não vai ser campeão. Quem fez previsão de Copa do Mundo, pode ser médium, vidente o que for, tá chutando, porque não existe”, disse.

De acordo com Gisele, previsões para as Copas anteriores eram mais fáceis, pois, a população estava unida, com um único objetivo. “Uns anos atrás o Brasil ficava inteiro em volta de uma coisa, como a Copa do Mundo, era fácil fazer uma previsão. Hoje em dia tá muito complicado, pois, muitos são vendidos, corrompidos, tem muita influência”, destacou a taróloga.

A disputa da Série B do Campeonato Brasileiro tende a ser delicada para o Criciúma Esporte Clube, ao menos foi o que previu Gisele. Segundo ela, o Tigre tem poucas chances de conquistar o acesso, mas não deve brigar na parte de baixo.

“É bom alguém ficar de olho, ficar esperto, se não as chances de subir para a Série A, de 30%, que já não é muito, passa a zero. Não apareceu que vai cair, mas as chances de subir são complicadas, pela forma como estão sendo conduzidas as coisas”, analisou.

As cartas apontaram que o clube estaria sendo rodeado por pessoas mal- intencionadas, buscando benefícios próprios. “A previsão que eu já fiz e confirmei, em várias cartas. Tá vindo muita gente errada para o clube, que vai afundar algumas coisas. São falsas propostas de pessoas que querem voltar para o clube, em benefícios financeiros que vão acabar com as energias boas que ainda restam lá dentro”, finalizou.