Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Servidores vão continuar protestando nas casas de vereadores

Categoria reclama de projetos do Executivo aprovados na Câmara. Primeiro protesto ocorreu quarta-feira, no prédio onde mora o líder de governo
Por Giovana Bordignon Criciúma, SC, 22/04/2022 - 16:16 Atualizado em 22/04/2022 - 21:10
O primeiro vereador escolhido como “alvo” do protesto foi Nícola Martins (PSDB) / Divulgação / 4oito
O primeiro vereador escolhido como “alvo” do protesto foi Nícola Martins (PSDB) / Divulgação / 4oito

Quer receber notícias como esta em seu Whatsapp? Clique aqui e entre para nosso grupo

Servidores do Siserp (Sindicato dos Servidores Públicos) de Criciúma começaram uma série de protestos que serão levados às residências de 14 dos 17 vereadores da cidade. Eles se manifestam contra recente aprovação de um pacote de projetos do Executivo referentes a remunerações e benefícios do funcionalismo.

O primeiro vereador escolhido como “alvo” do protesto foi Nícola Martins (PSDB), líder do governo na Câmara. Os manifestantes estiveram em frente ao prédio que Nícola reside na noite da última quarta-feira (20). E o objetivo é fazer o mesmo com os demais vereadores.

“Quando vão se candidatar, (os vereadores) visitam as casas das pessoas, pedem votos, se comprometem com as pessoas. Então por isso a nossa estratégia é fazer as visitas onde moram os vereadores que não tem se comprometido com a cidade”, explicou a presidente do Siserp, Jucélia Vargas, ao programa Conexão Sul, da Rádio Som Maior, nesta sexta-feira (22).

Leia também: "Estou super tranquilo", diz Nícola, após protesto na frente de casa (VÍDEO)

Reivindicações

Os projetos aprovados pelo Executivo tratam de pautas referentes a remuneração de servidores públicos levando em conta a inflação dos últimos 12 meses. O principal deles trata do repasse da inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de um ano, sendo que a classe reclama não ter recebido a reposição da inflação dos últimos três anos.

Foi aprovado por 13 votos favoráveis, dois contrários (vereadores Zairo Casagrande e Giovana Mondardo) e uma abstenção (vereador Daniel Antunes). Os servidores reclamavam 24%, o acumulado da inflação dos últimos três anos, enquanto a prefeitura ofereceu 11,7%.

Na mesma linha, há outros dois projetos do Executivo, o que propõe o reajuste nos salários dos estagiários e o que estabelece os valores do cupom alimentação.

Leia também: Projetos polêmicos sobre salários de servidores são aprovados

Para a presidente do Sindicato, o legislativo criciumense não está disposto a dialogar e só segue as ordens do prefeito do município, Clésio Salvaro (PSDB). “Nossa cidade tem três poderes, não pode ficar apenas com dois poderes, executivo e judiciário, onde o legislativo se transforou apenas em um lugar de obediência”, declarou.

Em entrevista ao programa Conexão Sul nesta sexta-feira, o vereador informou que o projeto foi aprovado em todas as votações. E, ainda segundo ele, outros representantes dos servidores foram “bem recebidos” em seu gabinete anteriormente. Eles conversaram e o vereador explicou o motivo da aprovação do projeto.

“A Jucélia fala que eu tenho que trabalhar mais pela cidade, mas ela está falando pela cidade ou pelo sindicato? Porque o que eles querem é que a gente trabalhe pelo sindicato”, afirmou o vereador. “É isso que aqueles 20 gatos pingados que apareceram na frente da minha casa estão querendo”, completou.

Protestos continuam

O objetivo é não parar com os protestos. “Vamos continuar sim com todas as nossas manifestações aos 14 vereadores que votaram que não estão dialogando com o servidor público”, disse Jucélia.

Em relação às reclamações recebidas pelo último protesto, a presidente argumentou que manifestações precisam ser feitas em locais públicos com acesso à população. “A gente faz exatamente para que o povo compreenda e veja o outro lado da moeda”.

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito