Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Senador Jorginho Mello de olho na crise do PSL

Parlamentar acredita que o PL se tornará a segunda maior bancada da Câmara
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 25/10/2019 - 08:45
Foto: Erik Behenck
Foto: Erik Behenck

O senador Jorginho Mello (PL) buscou alinhamento com deputados estaduais do PSL, o objetivo é tirar o líder do governo, Maurício Eskudlark (PL) e Coronel Mocellin (PSL) da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Os dois partidos formam um bloco parlamentar na Alesc. O senador esteve no Programa Adelor Lessa e comentou a questão.

“Eu tenho tratado ele com muito respeito. Sempre que ele nos procura, a gente atende. Eu tenho ajudado em tudo aquilo que eu posso. Inclusive ele tem nos procurado pouco. O Bolsonaro deu a eleição a ele e nós precisamos respeitar”, disse o senador, comentando sua relação com o governador Carlos Moisés (PSL).

Jorginho Mello fez uma análise sobre o atual governador. “Ele está fazendo um governo diferente, é o estilo de cada um, tem uns mais arrogantes, outros são pavões, tem os que mentem mais. Em Santa Catarina o governador só não pode atrapalhar, porque o estado anda sozinho”, disse.

Ainda sobre o PSL, o senador pensa que a tendência é a perda de parlamentares, o que fará o PL ser a segunda maior bancada na Câmara Federal, mas fez uma ponderação. “Só tem janela no ano que vem para vereador, o deputado que quiser sair agora vai perder o mandato. Não tem como eles saírem agora”, lembrou.