Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Santa Catarina terá Observatório Social

Estado será primeiro a ser fiscalizado por um OS de nível estadual
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 23/02/2018 - 09:42Atualizado em 23/02/2018 - 09:58
Presidente do Observatório Social do Brasil (OSB), Ney da Nóbrega Ribas (foto: Clara Floriano)
Presidente do Observatório Social do Brasil (OSB), Ney da Nóbrega Ribas (foto: Clara Floriano)

Santa Catarina será o primeiro estado brasileiro a ser fiscalizado por um Observatório Social. A informação foi dada pelo presidente do Observatório Social do Brasil (OSB), Ney da Nóbrega Ribas, em entrevista ao Programa Adelor Lessa na manhã desta sexta-feira.

“Estamos às vésperas de implantarem Santa Catarina o primeiro Observatório Social Estadual, que terá como incumbência, primeiro, trabalhar pelo fortalecimentos dos observatórios do município. Segundo lugar, cuidar da expansão porque temos muitos municípios solicitando a instalação de um observatório. E por último trabalhar para cuidar das contas da secretarias e do Governo do Estado”, contou.

Hoje em todo Brasil são 126 laboratórios constituídos e pertencentes a rede da OSB. “Tem muitas cidades que se criam observatórios, mas não respeitam os princípios do Observatório. Então nós temos 126 instalados, mas até metade deste ano teremos mais 52 cidades e temos mais 348 cidades pedindo”, explicou.

Observatórios Brasileiros

Segundo Ribas, o primeiro Observatório Social do país nasceu em Maringá, no Paraná, e logo em seguida no Brasil. “Foi decidido então criar uma entidade que congregasse todos os Observatórios. E é por isso que o Observatório Social do Brasil é o responsável pela disseminação da metodologia padronizada, pela implantação, captação, suporte técnico e tecnológico, além de parcerias estratégicas que a gente estabelece”, explicou.

Ribas conta que a metodologia padronizada dos Observatórios prevê que a cada quatro meses o observatório local faz um relatório e presta contas a comunidade. Esses relatórios chegam ao OSB e os dados são compilados, resultando em um mapeamento de todo o país.