Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Ricardo Guidi promete mais recursos em 2020 e fala sobre a disputa no TSE

Deputado federal diz que uma de suas prioridades é a conclusão da BR-285
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 30/12/2019 - 08:40Atualizado em 30/12/2019 - 08:42
Fotos: Paulo Monteiro
Fotos: Paulo Monteiro

O próximo ano será muito melhor do que 2019 e com mais recursos distribuídos entre os municípios, prometeu o deputado federal Ricardo Guidi (PSD), durante entrevista ao Programa Adelor Lessa, nesta segunda-feira, 30. Foi o primeiro ano dele na Câmara Federal, depois de quatro anos na Assembleia Legislativa.

“Desde o começo do mandato recebemos visitas de prefeitos e estivemos buscando estes recursos, então conseguimos R$ 20 milhões e mais da metade destes recursos vieram para o sul”, disse o deputado. Segundo ele, seu período na Alesc foi de muito aprendizado, mas na Câmara a questão é mais complexa, já que envolve o país inteiro.

Guidi prometeu até R$ 40 milhões para Santa Catarina em 2020 e metade dos recursos devem ficar na região sul. Somente para a saúde de Criciúma devem ser entregues R$ 5 milhões.

A conclusão da BR-285

Uma das principais pautas defendidas por Guidi foi a conclusão da BR-285, na Serra da Rocinha. Agora a luta é para a conclusão do trecho gaúcho, que vai interligar desde o Oceano Pacífico até o Atlântico com malha viária, o deputado diz que no Chile já existe esse tipo de pavimentação. Isso também é importante para aumentar o fluxo no Porto de Imbituba.

“O ministro Tarcísio de Freitas nos garantiu a conclusão da BR-285, participamos do Fórum Parlamentar Catarinense, para garantir as prioridades de Santa Catarina e conseguimos essa prioridade. Para a nossa alegria, a serra segue em um ritmo bastante acelerado”, comentou. A expectativa é de que as obras sejam entregues em 2020.

As brigas pelo mandato

Foram duas batalhas pela cadeira na Câmara Federal, uma delas com o correlegionário João Rodrigues, que não pôde assumir – ele fez mais votos do que Guidi e seria o eleito. Outra disputa envolveu Ana Paula Lima (PT), que necessitava de outra candidatura, que acabou sendo barrada, para que pudesse ter mais votos do que Guidi.

“O Partido dos Trabalhadores foi informado que precisaria colocar mais uma mulher, porque não estava de acordo com a lei eleitoral. Esta candidata não apresentou as contas de campanha e nem a documentação necessária, ela não respondeu a solicitação e no dia 20 de setembro sua candidatura foi impugnada”, citou.

Conforme o deputado, o PT ainda tem muita força política e por isso conseguiu levar o caso para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Acredita que é uma situação estranha e que acaba prejudicando os direitos e objetivos da região.