Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Presidente da Câmara de Içara assume Executivo interinamente

Alex Michels fala sobre trabalhos na prefeitura e propostas polêmicas da Câmara de Vereadores
Clara Floriano
Por Clara Floriano Içara - SC, 13/03/2018 - 11:36Atualizado em 13/03/2018 - 12:04

O presidente da Câmara de vereadores de Içara, Alex Michels, assume interinamente a prefeitura de Içara no lugar do prefeito Murialdo Canto Gastaldon. O solenidade de posse deve acontecer nesta quinta-feira e já na sexta Michels inicia os trabalhos a frente do Executivo. O presidente disse estar muito feliz com a oportunidade.

“É algo que a gente almeja, mas não esperava que fosse tão cedo. É um símbolo que a união e o engajamento entre os poderes constrói coisas para cidade. Muitas vezes as pessoas esperam que a crítica seja ferrenha. Óbvio, que não podemos deixar de criticar o que precisa melhorar. Mas essa sintonia entre os poderes faz bem para a cidade”, disse.

Polêmica dos salários de assessores

Michels falou ainda sobre a polêmica da última semana em relação ao aumento dos salários de assessores dos vereadores. Segundo ele, os vereadores da gestão passada assumiram um compromisso de aumentar o número de vereadores, mantendo os mesmos gastos. Pra isso, uma série de mudanças foi feita, como dois pisos de salários de vereadores.

“E essa foi a conversa que este ano começou a aflorar. De retornar esses pisos aos vereadores. Então, foi um diálogo intenso. Teve a participação das redes sócias e dos veículos de comunicação para que este projeto não fosse para frente. Estamos com a mesma meta neste ano, gastar como se tivéssemos 11 vereadores, talvez um pouco menos”, revelou.

Projeto

Foi apresentado ontem na Sessão da Câmara de Içara a proposta que pretende impedir vereadores ocupem cargo público, função ou emprego no Poder Executivo, por meio do Projeto de Emenda à Lei Orgânica. A proposta é do vereador Israel Rabelo, mas uma proposta semelhante foi apresentada por Michels, quando era suplente em 2016, sendo arquivada no mesmo ano.

“Esse projeto foi uma referência aqui para região sul, porque pesquisas apontavam que 70% dos cidadãos queriam que o vereador fosse apenas vereador. Então trouxemos isso para o debate. Agora esse tema volta. Assinei como co-participante do projeto, uma vez que o vereador conseguiu articular para protocolar o projeto. Assinei de bom grado. Acredito que o debate vai ser muito bom para a cidade”, afirmou.