Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Prefeito de Florianópolis estende quarentena até 8 de abril (VÍDEO)

Gean Loureiro prorrogou o prazo argumentando que fez "escolha pela vida" na Capital catarinense
Por Marciano Bortolin Florianópolis, SC, 27/03/2020 - 17:36Atualizado em 27/03/2020 - 18:09
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Diferente do anunciado pelo governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, prolongou a quarentena na cidade até o dia 8 de abril. O anúncio foi feito através de vídeo nas redes sociais na tarde desta sexta-feira, 27. “Após um debate profundo com a equipe técnica de saúde, tomei aquela que é a decisão mais difícil de minha vida. Vamos estender a quarentena em Florianópolis até o dia 8 de abril. Sei que muitos não concordarão com esta medida, que seremos criticados e até mesmo incompreendidos por aqueles que, com razão, não aguentam mais esta situação. Mas como prefeito não posso fugir da minha responsabilidade com a vida das mais de 500 mil pessoas que vivem aqui em nossa cidade”, declarou.

O prefeito disse ainda que está ciente que é preciso, além de proteger as pessoas, garantir que todos estejam empregados, alimentados e em paz. “Mas nesse exato momento essa equação não tem solução. Precisamos escolher uma prioridade e nós escolhemos a vida. Há semanas estamos estudando cuidadosamente o avanço da Covid-19 no mundo e no Brasil. Posso garantir a todos que temos uma das melhores equipes de inteligência em saúde do país e isso nos permitiu antecipar e iniciar o distanciamento social antes de muitas cidades. Os números mostram o quanto estávamos certos. Precisamos vencer este vírus e a estratégia de suspender a quarentena não é o melhor. Não só pelos números que temos, mas pelo o que o mundo já demonstrou”, ressalta.

Loureiro citou o exemplo de Milão, na Itália, que há 30 dias não registrava casos de coronavírus e lançou a campanha “Milão Não Para” e hoje tem mais de 4,4 mil óbitos pela Covid-19, a metade dos óbitos de todo o país. “E agora quem vai repor estas vidas? Vamos liberar gradativamente as pessoas do isolamento, mas precisamos alguns dias para que cheguem os testes e equipamentos de proteção individual que compramos. Podendo testar a população em grande número vamos monitorar e isolar apenas os contaminados retomando as nossas vidas em segurança”, finaliza.

Tags: coronavírus