Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Polícia Civil fecha dois estabelecimentos em Criciúma

As lojas fazem parte de uma rede, e estavam descumprindo determinação estadual e municipal de fechamento
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 20/03/2020 - 18:58Atualizado em 20/03/2020 - 19:07
Arquivo / 4oito
Arquivo / 4oito

Duas empresas foram fechadas pela Polícia Civil em Criciúma no fim da tarde desta sexta-feira, 20. Elas estavam descumprindo os decretos do Governo do Estado e da prefeitura, de fechamento durante a pandemia de coronavírus, que já conta com seis casos na cidade e 40 no estado.

"Fechamos dois estabelecimentos de grande porte na cidade, em nível de Brasil, tinham colocado totens na porta para receber pagamentos de seus clientes", confirmou o delegado regional de Polícia Civil, Vitor Bianco Júnior, em entrevista ao programa Ponto Final, na Rádio Som Maior. "É uma empresa que tem dois estabelecimentos aqui na cidade, inclusive ela já tinha sido visitada. Chegou uma recomendação do Ministério Público do Trabalho, notificamos e espero que não reabram. Se reabrirem as pessoas serão conduzidas à delegacia de Polícia", detalhou.

Outras diligências estão sendo feitas pela região. "Fizemos inúmeras diligências em todos os municípios da região, nos deparamos com muitas situações em indústrias de grande porte, onde o próprio decreto informa que eles poderiam estar funcionando com o mínimo possível de indústrias. Isso é bastante vago, cada empresa tem o seu número de servidores, e eles entendem o que seria o mínimo, então a gente acaba tendo dificuldades", relatou. 

O delegado observou, ainda, muita gente circulando nas ruas. "Hoje visualizamos muita gente andando de carro pela cidade", completou.

A Polícia Militar também está na ativa. "Temos recebido inúmeras denúncias", apurou o coronel Cosme Manique Barreto, comandante da 6a Região Policial Militar. "A gente percebe um denuncismo muito grande. A gente tem até uma sobrecarga no 190, de muitas ligações", apontou. "Uma das recomendações que colocamos, e infelizmente algumas coisas urgentes poderão ficar para trás em virtude dessa sobrecarga, é baixar o aplicativo que a PM tem", arrematou o coronel.