Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Pedágio de R$ 1,97 será arredondado para cima, adianta CCR

Praças de pedágio começarão a funcionar um ano depois da assinatura do contrato, ou seja, no primeiro trimestre de 2021
Denis Luciano
Por Denis Luciano São Paulo, SP, 21/02/2020 - 11:42Atualizado em 21/02/2020 - 11:49
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Vencedora do leilão dos 220,4 quilômetros do trecho sul da BR-101, a CCR estipulou cobrar R$ 1,97 por praça de pedágio. Mas o valor inicial da tarifa será um pouco maior quando os pontos de cobrança forem abertos. "R$ 1,97 é o valor de agosto de 2019. Depois disso, tem a correção da tarifa pelo IPCA e tem os arredondamentos, de 10 em 10 centavos, sempre se arredonda com zero no fim", informou o diretor da CCR, Eduardo Camargo. Ou seja, o valor inicial do pedágio ficará em no mínimo R$ 2.

O início da cobrança se dá, em processos como este, um ano depois da assinatura do contrato. Ou seja, é possível prever que as praças de pedágio iniciarão o funcionamento efetivo no primeiro trimestre de 2021. "Em um ano, a partir de agora, vamos deixar essa rodovia em padrões de primeiro mundo, basta verem o que fizemos na ViaSul, nas rodovias que assumimos no Rio Grande do Sul", apontou Camargo. "A partir da assinatura, a concessionária tem 6seismeses de serviços iniciais, quando fazemos toda a adequação de pavimento, sinalização, elementos de segurança, padrão de normas, conforto e segurança. A arrecadação de pedágio está prevista após um ano da assinatura do contrato, podendo ser antecipada caso tenhamos sucesso na construção das praças de pedágio e que consigamos entregar", explicou. "São dois marcos a vencer, com seis meses de contrato e um ano de contrato", emendou.

Confira também - CCR é a concessionária da BR-101 Sul. Pedágio custará R$ 1,97

As praças de pedágio serão construidas em Laguna, Tubarão, Araranguá e São João do Sul.

As garantias do ministro

A concessão anterior da BR-101 em Santa Catarina, a do trecho norte, esbarra há anos em uma obra não concluída, a do contorno viário de Florianópolis. "Acontece que a modelagem mudou completamente, os contratos contam com muito mais clareza e instrumentos sobre obrigações e penalidades em casos de descumprimento. A partir de um determinado momento, todas as nossas concessões têm sido bem sucedidas, não só em termos de leilão. Um exemplo, o aeroporto de Florianópolis, entrega antecipada em um mês, vocês dormiram em uma rodoviária e acordaram em um equipamento de primeiro mundo, o catarinense está bem satisfeito com o aeroporto, e não será diferente com o trecho sul da BR-101", garantiu o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. "Há uma satisfação muito grande da população em relação à administração da concessionária no RS", afirmou.

Confira também - "Santa Catarina ganha muito", diz ministro sobre pedágios na BR-101

Tarcísio reconheceu o contorno da Capital como uma dívida da União com Santa Catarina. "Temos a nossa dívida com o estado, resolver o problema do contorno. Tratamos o contorno como prioridade, hoje já temos orçamento, cronograma e na iminência de aprovar o reequilíbrio econômico e financeiro. Tivemos empreendimentos habitacionais que invadiram o espaço do contorno, esse desvio agregou três túneis no contorno, resolvemos equacionar, mas o que aconteceu com esses contratos antigos não vai acontecer mais", sublinhou.

A CCR assumiu, com a vitória no leilão desta sexta na Bovespa, compromisso de investir R$ 7 bilhões nos próximos 30 anos na BR-101 sul entre Paulo Lopes e São João do Sul.