Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Eleições 2020

“O prefeito é um instrumento do povo e o povo tem que governar com ele”, diz Minotto

Candidato a prefeito de Criciúma foi o entrevistado desta sexta-feira no Programa Adelor Lessa
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 16/10/2020 - 08:27Atualizado em 16/10/2020 - 11:36
Fotos: Luana Mazzuchello/4oito
Fotos: Luana Mazzuchello/4oito

Deputado estadual pelo segundo mandato, Rodrigo Minotto (PDT), disputa a prefeitura de Criciúma em 2020 com um plano de governo firmado em três eixos: desenvolvimento social e humano, desenvolvimento econômico e urbano. Estas e outras ideias para a cidade ele apresentou durante entrevista ao Programa Adelor Lessa, da Rádio Som Maior na manhã desta sexta-feira, 16. A saúde e a educação também são citadas por Minotto como as suas principais bandeiras.

Todos os sete candidatos à prefeitura estão sendo entrevistados. Na próxima segunda-feira, 19, Dr. Aníbal Dario (MDB), encerra a série.

O sonho

Minotto falou que ainda há um sentimento de distanciamento das pessoas com relação ao pleito deste ano. “Ainda há este sentimento de as pessoas estarem um pouco alheias ao processo político, por isso é hora de nos apresentar, mostrar a experiência de cada candidato.
Me preparei para isso, tenho vida pública de mais de dez anos, fui chefe de gabinete de um ministro de estado, estou no segundo mandato como deputado, sou formado em administração e direito. Cada um tem um sonho e eu tenho o sonho de ser prefeito de Criciúma. Ouvir a sociedade para que juntos podermos governar Criciúma”, falou.

O candidato destacou a forma diferente de apresentar as propostas, imposta pela pandemia. “Esta pandemia distanciou as pessoas e estamos ainda nos cuidando desta situação, precisamos nos cuidar para não receber uma segunda onda deste vírus. Diante deste quadro este é o momento de apresentar as propostas de forma subliminar, mostrar que podemos fazer uma gestão com responsabilidade e transparência, mas pensando no futuro de Criciúma. Acredito que agora, estamos a menos de 30 dias, as pessoas vão avaliar mais o perfil de cada candidato”, enfatizou.

O brizolista lembrou do diálogo que vem tendo com diversas instituições da cidade e a vontade que elas têm de participar do desenvolvimento de Criciúma. “Estou satisfeito com a receptividade. Tenho visitado instituições representativas, as de ensino superior, médico, entidades do terceiro setor e ouvimos a vontade deles de participar, apresentar propostas para o desenvolvimento econômico, social e humano de nossa cidade. Através de um planejamento, administração técnica, criar um conselho de desenvolvimento econômico com autonomia para apresentar ideias para o crescimento”, disse.

Rodrigo Minotto voltou a fazer ponderações sobre a saúde e a educação. “Investir forte na saúde e na educação. Cerca de 20% da população de Criciúma recebe menos de dois salários mínimos. Precisamos atingir esta camada da sociedade, dando qualificação, ensino de qualidade. Criciúma está em 162º nos anos iniciais e 190º no IDEB entre as 295 cidades catarinenses. Temos que respeitar todos os prefeitos que passaram por esta cidade. Cada prefeito tefe o seu momento, a sua experiência e o seu protagonismo. Temos uma atual administração que governa o município há 12 anos. Respeitamos e demonstramos o nosso reconhecimento pelo trabalho que vem sendo feito, mas entendemos que precisamos ouvir a sociedade. O prefeito é um instrumento do povo e o povo tem que governar com ele. Faremos uma administração transparente e inovadora desenvolvendo a cidade com atores que pensam igual a nós. Muitas pessoas que tenho conversado demostram o interesse de participar e ajudar no desenvolvimento de Criciúma”, comentou.

Ainda sobre a saúde, ele falou sobre os exames e as consultas. “Todos os bairros terão a oportunidade de ter o exame, consulta marcada no dia certo. Se a equipe técnica da prefeitura não tem condições de fazer todo o atendimento necessário, nós vamos buscar parcerias. Tem o Cisamrec que está à disposição do município. É preciso uma gestão mais eficiente”, afirmou.

Diagnóstico

Como primeira ação, caso eleito, Minotto revelou que faria um diagnóstico sobre a cidade. “Constituir uma comissão e saber com responsabilidade o que vamos fazer. Quero saber como fazer e quando fazer. Com todo respeito, precisamos ter responsabilidade naquilo que falamos”, disse.

A mobilidade é um assunto tratado por todos os candidatos e salientado também por Rodrigo. “As calçadas, a dificuldade de uma pessoa com baixa visão em transitar, uma coisa simples que você pode inovar, fazer parcerias, seja com o comércio. Precisamos ouvir, agir conforme as necessidades da cidade. Nós somos um instrumento de execução daquilo que o povo quer. As decisões precisam ser tomadas com autoridade, o nosso modelo será totalmente diferenciado deste que está aí”, relatou.

Relação com Estado e União

Outro ponto destacado pelo candidato é a importância da boa relação do prefeito com os governos Estadual e Federal. “É preciso ter bom relacionamento com o governos, independente dos partidos. O meu estilo é de ponderação, que respeita as diferenças, vamos construir muito mais por Criciúma. Este é o meu estilo de ser. É importante o prefeito ter um bom relacionamento e ter esta visão que político é uma cosia e administrador público é outra coisa. Quando estamos no embate eleitoral, mas quando vence a eleição você precisa pensar na prosperidade do nosso município”, ressaltou.

Temos que olhar Criciúma de cima e pensar no futuro. Com a minha experiência, o meu trabalho as minhas relações tenho certeza que mutias destas situações nós vamos resolver. Acho que tudo deve ser feita de forma equilibrada e da melhor forma para a cidade.

Uma decisão que Minotto deixou claro que tomará em caso de vitória na eleição de novembro é o rompimento do contrato com a Casan. “Temos que rever o contrato porque do jeito que está não pode permanecer”, pontuou.

Confira a entrevista na íntegra: