Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

O custo da iluminação pública em Criciúma na pauta do Gaeco

Alertas foram levantados por vereador no ano passado. "Daria para trocar lâmpada por R$ 600, gastaram R$ 1,6 mil", adverte Zairo Casagrande
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 02/07/2020 - 11:55Atualizado em 02/07/2020 - 12:01
A nova iluminação pública de Criciúma / Arquivo / 4oito
A nova iluminação pública de Criciúma / Arquivo / 4oito

Em algumas sessões da Câmara no ano passado, o vereador Zairo Casagrande (PDT) apontou ressalvas sobre os valores investidos na revitalização do sistema de iluminação pública em Criciúma. Esse é o epicentro da investigação da Operação Blackout, desfechada pelo Ministério Público (MPSC) e com diligências realizadas pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na manhã desta quinta-feira, 2, na prefeitura e em outros cinco locais. Foram apreendidos celulares de sete integrantes do governo municipal, computador de um secretário e documentos. A promotora Caroline Eller, responsável pelas investigações, vai se pronunciar à tarde por meio de nota.

"Busquei o MP questionando a última licitação, na qual gastaram R$ 7 milhões para comprar 4,8 mil lâmpadas. É o dobro do que se cobra no mercado", dizia Zairo ao portal 4oito em julho de 2019. "Com esses valores, custaria R$ 1,4 mil cada lâmpada. Houve outro contrato em que cada lâmpada custava mais de R$ 1,6 mil. Com tudo o que estão gastando com iluminação pública, daria para iluminar todas as cidades de Criciúma a Passo de Torres", referiu nesta quinta, ao tomar conhecimento da operação do Gaeco e MPSC.

Confira também - Operação Blackout: Gaeco na prefeitura de Criciúma

"Está super mega faturado", diz vereador

Quando da abordagem do tema em julho passado, há quase um ano, Zairo lembrava que um kit com braço, fotocélula e lâmpada de 50w custam R$ 600 ou, no máximo, R$ 700, caso sejam usadas lâmpadas de 100w. "Está super mega faturado", afirmava. Na ocasião, a secretária municipal de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, Kátia Smielevski, explicava que o valor total do contrato foi de R$ 7,3 milhões para a troca de 4,3 mil pontos de iluminação. "Cada unidade tem um custo variável entre R$ 995 e R$ 2,4 mil. O valor citado pelo vereador é apenas de lâmpadas. Mas também há o custo de instalação, braço da iluminação, cabos, conexões, ferramentas e placas de identificação", citava.

O vereador conta que esteve observando parte das trocas de lâmpadas que a prefeitura, mediante o novo contrato, já executou pela cidade. "Comecei a observar, eles trocavam a lâmpada e dois fios que vem do poste. No Comerciário, pelo menos, onde eu vi, foi só isso. A estrutura não se mexe, é a mesma. Guarda-se a lâmpada velha, de vapor de sódio ou de mercúrio, produto de qualidade, 99% dessas lâmpadas retiradas estavam funcionando, daí guardam o reator, a lâmpada, tiram coisas boas, com R$ 600 dá para fazer isso, com materiais aqui da região e sem a necessidade de equipe terceirizada, usando a mão de obra da Cosip", refere Casagrande. "E não há uma calamidade pública que faça requerer a necessidade de fazer tão rápido o serviço. Pode ser feito gradualmente, conforme a demanda e a agenda da Cosip", completa.

Confira também - Vereador denuncia superfaturamento na iluminação pública

Prefeitura enumerou vantagens

A prefeitura destaca, nos últimos meses, os investimentos feitos. Nos últimos meses do ano passado, nos primeiros 670 pontos de iluminação pública com as novas lâmpadas de LED instaladas, a redução na conta da Cosip teria alcançando 14%. “Esse percentual vai aumentar nos próximos meses. A iluminação com luminárias de LED tem uma garantia de 10 anos e o consumo é menor do que o gerado por lâmpadas tradicionais. É um investimento significativo que tem uma durabilidade maior”, destacava, em matéria de novembro de 2019 no 4oito, o prefeito Clésio Salvaro.

Confira também - Prefeitura aponta economia de 14% com lâmpadas de LED

A estimativa do município é alcançar uma economia de 40% com o novo sistema de iluminação. Serão contempladas mais de 200 ruas, totalizando 94 quilômetros.  “Utilizamos 12 tipos de luminárias específicas para diversas vias, considerando a pavimentação e a largura. O custo da substituição varia, já que analisamos se é necessário trocar a parte elétrica e fazer outros serviços. O valor também inclui o transporte e a remoção das lâmpadas antigas”, explicava, também em novembro passado, a secretária Kátia.