Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O Cavalo ainda não jogou a toalha. Ainda (VÍDEO)

"Só um milagre, vamos lutar por esse milagre", afirmou o técnico tricolor, com o Criciúma quase rebaixado
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 19/11/2019 - 21:54Atualizado em 19/11/2019 - 22:37
Foto: Jota Éder / Timaço / Rádio Som Maior
Foto: Jota Éder / Timaço / Rádio Som Maior

O Criciúma pode estar a 48 horas da Série C. Basta que o Londrina vença o lanterna São Bento na quinta-feira em Sorocaba. Ou 24 horas adiante, caso o Figueirense não seja derrotado pelo CRB na sexta-feira em Maceió. "Temos mais um jogo e vamos fazer esse jogo", diz o técnico Roberto Cavalo, quando questionado sobre a dificílima situação do Tigre. Com 36 pontos depois do empate desta terça-feira, 19, 1 a 1 diante do Paraná em casa, o Criciúma segue em antepenúltimo lugar.

Mas Cavalo concorda, é muito difícil que o Criciúma escape da Série C. "Só um milagre, vamos lutar por esse milagre. A antiga luzinha no fim do poço, também acho que ficou difícil", comentou. "Quando você começa errado, o mais certo é terminar errado. Quando começa certo, melhora sempre, e nós não conseguimos melhorar", avaliou o treinador. "A qualidade faz diferença", emendou.

Confira também - Empate em casa adia o rebaixamento do Tigre

O jogo contra o Paraná, que já era complicado, ficou ainda mais difícil pela circunstância de sair atrás no placar. "Quando toma um gol e tem que correr atrás, é muito mais difícil. Temos que começar a partida com 11 e terminar com os 11, e realmente o Daniel Costa não teve um bom rendimento", exemplificou, criticando o meia que entrou no segundo tempo no lugar de Carlos Eduardo. "No meu comando por algum momento o time teve evolução mas por outro lado teve queda de rendimento", ponderou.

Para o técnico, a "maior virtude do Criciúma no campeonato foi o apoio da torcida". Questionado sobre o futuro, Cavalo afirmou que "em termos de planejamento futuro, só depois do jogo do Oeste". Ele não descartou a possibilidade de continuar no clube para o ano que vem, mesmo com a confirmação do virtual rebaixamento. "Depende do interesse do Criciúma, de um planejamento bom de trabalho", afirmou.

Cavalo reconheceu a dor que estão vivendo ex-jogadores históricos do clube que hoje estão na rotina do Criciúma, casos dele próprio, de Wilson e Vanderlei, hoje auxiliar técnico e assessor de futebol, respectivamente. "O Vanderlei está lá, quase chorando no vestiário. A gente sente muito mais pela história que temos aqui", reconheceu o treinador.

O Criciúma volta a campo no dia 30, em Barueri, contra o Oeste.