Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

O bloqueio da Serra da Rocinha era previsto, explica superintendente do Dnit

Névio Carvalho diz que havia um acordo com os trabalhadores que passam pela BR-285
Erik Behenck
Por Erik Behenck Timbé do Sul - SC, 30/09/2019 - 08:50Atualizado em 30/09/2019 - 09:44
(foto: Gentil Francisco / Especial)
(foto: Gentil Francisco / Especial)

A partir desta segunda-feira, 30, a passagem de veículos pela Serra da Rocinha está completamente bloqueada. Conforme o chefe do serviço de construção e superintendente substituto do Dnit em Santa Catarina, Névio Carvalho, esse bloqueio é necessário para que o concreto colocado fique assentado corretamente. E deve permanecer assim por pelo menos dois meses, o que gerou protestos.

"Nós tivemos uma reunião com este grupo no dia 9 de julho, onde ficou acordado que a gente abriria em alguns horários até o início das obras de pavimento rígido, que começaram na semana passada. O pavimento rígido ele demanda uma série de equipamentos e não tem condição de ter tráfego. Isso foi explicado e houve um acordo”, comentou.

Conforme Névio, é impossível fazer um desvio para permitir o tráfego de veículos e isso ocasionará em aumento de pelo menos 60 quilômetros no percurso. Diferente do que era comentando, a data de conclusão não é para o primeiro semestre, segundo ele.

“Estamos fazendo todos os esforços para no fim do ano que vem estar com a obra concluída. Eu imagino que serão mais uns R$ 40 ou R$ 50 milhões. Nós temos R$ 20 milhões no orçamento deste ano e talvez haja uma suplementação de R$ 10”, comentou o superintendente do Dnit.

A expectativa é de que essa parte da obra seja finalizada até o fim do ano, quando a BR-285 atingirá 90% de conclusão. Ele sabe das dificuldades encontradas pelos moradores. “A gente está fazendo essa obra justamente para reduzir as dificuldades de acesso”, concluiu.