Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“Não dá para acreditar nas mesmas pessoas e nos mesmos partidos”

Pré-candidata à Presidência da República, Marina Silva, foi a 13ª entrevistada da série Presidenciáveis
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 19/07/2018 - 09:02Atualizado em 19/07/2018 - 09:06

Marina Silva é ex-ministra do Meio Ambiente, ex-senadora e pré-candidata à Presidência da república pelo partido Rede Sustentabilidade. Ela está em Santa Catarina para cumprir agenda na Capital do Estado. Hoje, Marina foi a 13ª entrevistada da Série Presidenciáveis no Programa Adelor Lessa e falou sobre a economia nacional, sobre o estado catarinense e também sobre o que suas propostas.

“Temos que entender que, para que os Estados tenham melhores condições, inclusive o Estado de Santa Catarina que é importante para a o nosso país, é fundamental que a gente tenha um país que volte a crescer que volte a ter investimentos. Boa parte dos problemas que temos são infraestrutura, saúde, educação, segurança pública, tudo isso tem a ver também com este momento difícil que o nosso país está atravessando. Temos um polo industrial que está passando por muitas adversidades. É fundamental que recuperemos os investimentos para se tenha um novo ciclo de prosperidade aqui em Santa Catarina. Aqui é um Estado agrícola que precisa cada vez mais da atuação e do movimento econômico e social da própria região, por isso o apoio a agricultura familiar é importante. E, neste sentido, como presidente da República trabalhar em parceria com o Governo e com a sociedade para que a gente possa ter aquilo que a população precisa”, afirmou.

Marina foi questionada sobre o descrédito da classe política. Ela afirmou que a sociedade “tem toda a razão de estar indignada” por tudo que vem acontecendo no país. “Imagine o que é você tentar marcar uma consulta e leva meses para poder marcar, depois outros meses para poder ter os exames e falar com o médico. E vendo tanto dinheiro sendo desviado pela corrupção dos grandes partidos, PT, PMDB, PSBD, todos juntos e que fizeram tudo isso que a Lava Jato tem mostrado. Essa indignação tem que ser usada para promover uma mudança no Brasil, uma mudança de verdade. Não dá para acreditar nas mesmas pessoas e nos mesmos partidos. Um outra coisa é compreender que para tirar o país desta situação não vai ser num passe de mágica como alguns estão dizendo, mas vai ser fruto da vontade, principalmente do povo brasileiro de fazer a mudança. E é com essa mudança que estou novamente como pré-candidata e acho que agora temos a chance de mudar as coisas. Se repetir os mesmos, vamos ter os mesmos resultados”, declarou.