Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Motoqueiros são as maiores vítimas de acidentes com mortes

Levantamento do IML aponta dez óbitos em colisões envolvendo motocicletas neste ano na região
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 09/08/2019 - 14:25Atualizado em 09/08/2019 - 15:15
Divulgação
Divulgação

Motos lideram colisões com mortes na Região Carbonífera em 2019. Levantamento feito pelo Instituto Médico Legal (IML) aponta que, nos primeiros seis meses deste ano, dez pessoas morreram decorrentes de acidentes com motocicletas. No ano passado foram 27 vítimas.

Ao todo, 31 pessoas morreram em 2019, até o fim de junho, no trânsito na região. Atropelamentos vitimaram 10 pessoas, entre pedestres e ciclistas. A região apresenta uma queda de óbitos nas ruas e rodovias nos últimos três anos. Em 2016, foram 92 mortes. Caiu para 84 em 2017 e no ano passado foram 60 vítimas. Neste ano, a média nos primeiros seis meses mantém-se a mesma de 2018.

De acordo com técnicos do IML, para cada morte há outras sete pessoas gravemente feridas decorrentes de colisões, atropelamentos ou quedas no trânsito.

Educando para o Trânsito

Para ajudar na diminuição de acidentes, a Polícia Civil, em parceria com o Instituto Geral de Perícias (IGP), retomou o projeto “Educando para o Trânsito”. “Com mensagens diretas, ilustradas com imagens reais de acidentes de trânsito e dados estatísticos, o projeto busca sensibilizar jovens aspirantes a condutores de veículos automotores, adultos já habilitados e motoristas profissionais para a responsabilidade no trânsito”, destaca-se.

Além da conscientização contra a mistura do álcool e direção, outros fatores são apontados, como a direção defensiva, a manutenção básica dos veículos e o uso de equipamentos de segurança.