Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Morre Toninho Milioli, ex-reitor da Unesc

Professor, nome histórico da trajetória da Universidade, lutava contra um câncer
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 19/04/2019 - 18:27Atualizado em 20/04/2019 - 16:27
Toninho Milioli com Adelor Lessa em 2018 / Foto: Amanda Farias / 4oito
Toninho Milioli com Adelor Lessa em 2018 / Foto: Amanda Farias / 4oito

Duas vezes reitor, duas vezes vice-reitor, foi com ele à frente que a Unesc tornou-se efetivamente Universidade, em 1997. Mas muito antes, Antônio Milioli Filho deixou uma profunda digital na história da instituição. Ele partiu nesta Sexta-feira Santa. Toninho Milioli, 69 anos, faleceu nesta tarde, informou o jornalista Adelor Lessa:

Acaba de falecer o professor 
TONINHO MILIOLI
Ex-reitor da Unesc 
Tive o privilégio de ser seu aluno, amigo e 
Companheiro de luta pela democratização da
Universidade. 
Uma grande perda.
Obrigado por tudo, professor. Descanse em paz!
Velório será realizado na Unesc, no auditório Ruy Hülse.

O velório será a partir das 22h desta sexta-feira no Auditório Ruy Hülse. Ele deixa a esposa Vanilde e a filha Daniele. O sepultamento será neste sábado às 16h no Cemitério do Bairro São Luiz.

A reitora Luciane Ceretta convocou sessão solene do Conselho Universitário para as 14h deste sábado.

A luta pela saúde

Em 22 de junho do ano passado, a Rádio Som Maior apresentou uma edição especial do Programa Adelor Lessa no dia do cinquentenário da Unesc, direto da Universidade. Na ocasião, Toninho estava presente, e concedeu uma emocionada entrevista.

Nela, contou da sua luta contra o câncer, que o vinha abatendo. "Eu não desejo para os piores inimigos", disse, desperando os risos de quem estava por perto. "É uma doença que é silenciosa, não dói, e aparece do nada, como foi no meu caso. Quando eu verifiquei tinha um linfoma com 17cm e o único remédio era a quimioterapia. Não sofri na verdade, mas a quimioterapia enfraquece muito. Fiquei oito meses sem sair de casa, é duro", destacou.

O sentimento, naquele momento, era de vitória na batalha pela vida. "Venci. Quer dizer, não 100%, ainda existem algumas coisinhas para resolver. Mas eu venci sim. O câncer não vai me levar dessa vez. O câncer é uma doença muito violenta que atinge um percentual muito grande da população". Toninho fez questão de lembrar o papel que o Hospital São José desempenha para tratar quem tem câncer. "Todo o sul vem para o São José, aqui é feito um tratamento suficiente para resolver o problema".

A luta pela Unesc

Toninho foi importantíssimo na rotina da Unesc ainda nos tempos de Fucri. Exerceu destacada liderança na reabertura política. "A Unesc entrou na minha vida a pedido de alunos, na Unesc não podia falar em política, tu sabe, estavas aqui, era muito difícil. A revolução foi intensa. A antiga diretoria não castrava essa liberdade dos alunos, eu participava dos movimentos dos alunos e dava força para que eles se movimentassem", contou.

"A eleição direta da Fucri foi fruto desse movimento, os diretores castravam essa liberdade e nós conseguimos essa eleição direta, fui o primeiro diretor-presidente eleito com 32 anos. Depois nos elegemos com o propósito de transformar a Fucri em uma Universidade. Batalhamos, lutamos, foi uma luta muito grande, o professor Laenio começou".

A partir daí, Toninho revelou o grande orgulho que carregava da Unesc. "A carta consulta 50% eu escrevi, de próprio punho, fiquei cinco meses isolado aqui escrevendo com o professor Eurico e a professora Enedir. Um dos maiores orgulhos que eu tenho é a confecção da carta consulta, aprovada pelo Conselho Federal de Educação. Depois nos deu a liberdade de criar esses cursos todos, com a liberdade de ser Universidade e dar à região o que ela precisava".

O ex-reitor fez ainda uma exaltação ao papel que as Universidades comunitárias exercem em Santa Catarina. "Todas as Universidades do Sistema Acafe são responsáveis pelo bom IDH. A Universidade não tem dono, é da comunidade, o reitor não pode tomar decisões monocráticas. Eu fico muito satisfeito pelo quanto ela se desenvolveu e vai se desenvolver. O que a sociedade quiser vai acontecer, precisamos que ela seja forte, viva".

A homenagem em vida

A Unesc tomou o cuidado de homenagear o ex-reitor em vida. Em dezembro de 2017 a reitora Luciane Ceretta e o vice-reitor Daniel Preve batizavam o prédio da reitoria de Centro Administrativo Antônio Milioli Filho. Ele estava afastado da instituição desde 2012. “Ele deixa um legado de muito valor para a Unesc. Ele é uma referência para nós, um dos responsáveis pela transformação de faculdade para Universidade. Essa homenagem é mais do que justa”, disse a reitora, na ocasião.

Toninho Milioli com Luciane Ceretta e Daniel Preve em dezembro de 2017
Foto: Vitor Netto / Unesc