Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Mampituba preparado para receber a Copa Davis

A expectativa é de que 1.700 torcedores frequentem os jogos de sexta e sábado
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 10/09/2019 - 10:29Atualizado em 10/09/2019 - 10:30
(foto: Luana Mazzuchello)
(foto: Luana Mazzuchello)

Depois de receber edições do Banana Bowl, o Mampituba sediará o Zonal Americano I da Copa Davis, entre sexta-feira, 13, e sábado, 14. O clube continuará funcionando normalmente nestes dois dias, enquanto a parte de competições será isolada. A escolha por Criciúma veio após pedido dos atletas, que desejavam jogar a nível do mar.

“Os jogadores da seleção brasileira elegem as condições do local em que desejam jogar, então pediram saibro e a nível do mar. No Rio de Janeiro não tem condições, São Paulo perde pela altitude e no Nordeste venta muito nessa época. Estes fatores foram determinantes”, explicou o presidente da Federação Catarinense de Tênis, Alexandre Farias.

O confronto será contra Barbados, começando ao meio-dia de sexta-feira, com uma partida de simples, logo depois tem outro jogo. Restam poucos ingressos para serem vendidos e se a bilheteria for esgotada serão mais de 1.700 espectadores no Mampituba. Uma arquibancada atrás da quadra foi instalada e camarotes foram preparados.

“As exigências não foram tão grandes assim. O clube teve que movimentar alguns departamentos, mas tudo vale a pena para poder sediar um evento desta grandeza. Tudo nos orgulha, e é importante para contribuir com a economia da nossa cidade. Qualquer exigência que eles fizessem a gente cumpriria”, citou o presidente do Mampituba, Edézio Luiz Carminatti.

Conforme o presidente da Federação Catarinense, o Mampituba reúne as principais características para receber eventos de grande porte.

“Para trazer um evento desse naipe é preciso de uma série de condições. Temos que ter um clube com todas as condições estruturais, físicas e também o acesso. Hoje o Mampituba é considerado um dos maiores clubes sociais do Brasil. Quando abriram as portas, surgiu essa possibilidade de realizar o evento ali”, afirmou.