Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Júlio Colombo fala sobre desafios à frente da Prefeitura de Criciúma

Prefeito interino explicou mudança de sede da Câmara de Vereadores
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 06/02/2018 - 12:29
(foto: Clara Floriano)
(foto: Clara Floriano)

Na noite de ontem o vereador e presidente da Câmara de Vereadores, Júlio Colombo, tomou posso como prefeito interino do município de Criciúma, em solenidade realizada no salão Ouro Negro no Paço Municipal Marcos Rovaris. Colombo ficará no cargo pelo próximos dez dias, sendo que o prefeito licenciado, Clésio Salvaro, e o vice, Ricardo Fabris, voltam aos cargos no dia 14 de fevereiro.

“É um gesto que o Executivo faz com o Legislativo, mostrando a harmonia que deve haver entre os poderes. A gente recebe com satisfação e qualquer um dos colegas que estivesse na cadeira da Câmara estaria prefeito hoje. Como falei, meu primeiro gesto é não fazer qualquer tipo de nomeação para evitar custos. O período é pequeno, mas há complexidade administrar um município tão grande quanto Criciúma, é um tomar de decisão a cada momento que reflete no cotidiano do cidadão”, disse Colombo.

Mudança de sede

Também nesta segunda-feira, em reunião entre o prefeito Clésio Salvaro e os vereadores de Criciúma, foi confirmado que a Câmara de Vereadores deve mudar para nova sede. Deixando o Centro Profissional, o Legislativo deve ir agora para um prédio que é atualmente ocupado pelo Ministério Público do Trabalho.

“Agora com os problemas dos hospitais resolvidos momentaneamente e do Paço Municipal também, temos que resolver a questão da Câmara até por mobilidade Urbana. Ali onde está instalada, nas segundas e terças-feiras quando tem as sessões, ela representava um estorvo. É uma questão mais econômica para o município que a ideia original”, explicou Colombo.

Desafio para 2018

O prefeito interino falou que Criciúma tem desafios pertinentes para 2018, sendo o maior a pavimentação de ruas de bairros. “Nós entendemos que no Centro certos problemas não existem e as nossas periferias sofrem. A nossa periferia sofre muito com a questão de pavimentação”, contou o vereador.