Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Instituições de ensino buscam se alinhar às necessidades do mercado

Cursos são oferecidos conforme pesquisas de demanda, potencialidades e vocação regional
Por Comunicação Acic Criciúma - SC, 14/01/2020 - 11:11Atualizado em 14/01/2020 - 11:14
Foto: Divulgação / Acic
Foto: Divulgação / Acic

Assim como a Associação Empresarial de Criciúma (Acic) oferece diversas capacitações ao longo do ano, para a qualificação de profissionais da região, as instituições de ensino procuram se alinhar às necessidades do mercado quanto à capacitação da mão de obra, seja daqueles que ainda buscam uma ocupação ou de quem já está trabalhando e busca se aperfeiçoar.

José Carlos Sprícigo, CEO da Librelato e presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Extremo Sul Catarinense (Sindimetal), diz que a Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) ouviu as dificuldades das empresas e vai intensificar o investimento em educação.

"O ensino técnico deve voltar muito forte pelo Senai, que vai ter uma contribuição e uma construção muito grande desse pensamento de capacitar pessoas. Nós que somos da indústria devemos todos entrar nesse barco", considera o executivo.

Graziela da Silva Branco, gerente executiva do SESI Senai da Regional Sul, ressalta que, em termos de educação profissional, todos os cursos do SESI Senai, sejam eles de curta duração, técnicos ou superiores, são sempre desenhados alinhados com as necessidades da indústria.

"Recentemente, iniciamos um trabalho, ouvindo através de comitês setoriais, os setores metalmecânico, cerâmico, de vestuário e assim por diante, alinhando, inovando nossos currículos às necessidades atuais e futuras desses segmentos industriais", comenta Graziela.

Conforme a gerente, a procura por cursos técnicos e de qualificação tem aumentado e isso já é um sinal do aquecimento futuro da economia. "As empresas estão precisando cada vez mais de profissionais qualificados, porque vagas de emprego para pessoas com qualificação sempre tem. Os índices de empregabilidade de profissionais formados pelo Senai são acima de 90%", informa.

Oferta
 
Diretor da unidade de Criciúma, Alexandre Meneguetti explica que o Senac/SC tem um portfólio de cursos com mais de 600 títulos, nos diversos níveis da educação profissional, e cada unidade tem uma vocação, porque cada região tem uma característica diferente. "Por exemplo, no portfólio tem cursos no segmento de moda, mas quem mais usa são Criciúma, Florianópolis e Brusque, pela demanda que existe de empresas e empregos nessas regiões", pontua.

De acordo com Meneguetti, para a definição dos cursos ofertados na unidade, são realizadas reuniões de conselho, nas quais lideranças de sindicatos e de outros setores são ouvidos, para levantar demandas. "Também temos pesquisas informais, de visitas a empresários, com alunos; registros de demandas que chegam através de diversos canais de comunicação e temos pesquisas formais também, através de convênio com o IPC", enumera.

O diretor frisa que cada área tem uma necessidade e uma empregabilidade diferente. "A partir deste ano, vamos voltar a atuar com o curso técnico de enfermagem, com um novo investimento para a unidade de Criciúma. Porque a percepção de mercado e os indicadores mostram que os hospitais, as clínicas médicas da região já têm falta desse profissional. Então, o Senac entra com a oferta do curso", declara.

"Estamos investindo também na área de gastronomia, com a graduação, ou seja, o curso superior, uma demanda apontada por toda a região através de pesquisa. Quando solicitamos o curso, precisamos anexar todos os dados de mercado para justificar as ofertas", salienta.

Potencial

Conforme Izes Beloli, coordenadora geral do Colégio Satc, na instituição os cursos são definidos de acordo com a avaliação do potencial de uma determinada área, em sintonia com o mercado de trabalho. "Outro fator que contribui para esta definição é o Catálogo Nacional dos Cursos Técnicos (Portal do MEC), o qual traz orientações sobre os cursos a serem ofertados", detalha.

Ela explica que os alunos da Satc do ensino médio podem fazer o ensino técnico concomitante, no período vespertino, a partir do segundo ano, de forma gratuita. "No primeiro ano do ensino médio, os alunos participam da informação profissional para auxiliá-los na escolha do curso. Ao fazer um curso técnico, os alunos já podem conhecer uma determinada área, a qual irá auxiliar na escolha do curso superior", salienta.

Na Satc, são também ofertados cursos técnicos no período noturno, para os alunos que já são formados no ensino médio. "Esses procuram o ensino técnico para ingressar rapidamente no mercado de trabalho ou buscar melhores oportunidades na sua área de atuação ou até mesmo em outras áreas de formação", comenta a coordenadora.