Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Iluminação e a segurança em destaque no Rincão

Durante o verão, mais policiais estão nas ruas e manutenção de lâmpadas é constante
Erik Behenck
Por Erik Behenck Balneário Rincão - SC, 14/01/2020 - 19:10
Fotos: Luana Mazzuchello
Fotos: Luana Mazzuchello

Balneário Rincão está mais seguro. Isso acontece porque nos últimos anos foram feitas algumas melhorias estruturais na cidade, principalmente destacando a questão da iluminação. Quem mora lá diz que hoje em dia é mais tranquilo para sair na rua durante a noite, seja no inverno ou no verão, o que não acontecia antes.

“Mudou muito nos últimos dois anos a questão de segurança, nós temos dois policiais civis e seis policiais militares. Nós andávamos de bicicleta na baixa temporada e tínhamos medo, mas isso no ano passado mudou muito, o grupo Conseg, com o pessoal da iluminação pública, a prefeitura e a Polícia Militar atuam juntos”, disse Beto Moisés, que faz parte do Grupo de Voluntários.

Para o delegado Márcio Campos Neves, as instituições de segurança estão com equipamentos adequados para garantir a tranquilidade da população. Diz ainda que a segurança é um dos itens principais para o crescimento de um município, a partir disso, empreendedores começam a investir em comércios, porque ninguém investiria sem ter uma garantia, disse o delegado.

“Temos policiais que são destacados de Criciúma e de outras regiões, que atendem a Polícia Militar com os desenvolvimentos cartorários e a população em geral. Não tivemos grandes ocorrências, como latrocínio, homicídios ou estupro, mas os roubos continuam, até porque existem mais pessoas”, comentou.

Destaque para a iluminação

Conforme o delegado, desde 2015 a infraestrutura do Rincão vem melhorando. Beto Moisés deu uma dica para quem pretende ajudar na conservação. “A pessoa tem que marcar o poste, com uma bolsinha do mercado ou uma cordinha, a noite está apagada, mas durante o dia não vão saber. Depois é só avisar, em 48 horas eles vão lá e trocam. Uma lâmpada daquelas acesa é mais segurança”, citou o voluntário.

O delegado Márcio Campos Neves