Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Hélio Cesa fala sobre economia, saúde, educação e turismo em Siderópolis

Prefeito destacou os feitos de 2018 e elencou o planejamento para o próximo ano no Jornal das Nove
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 26/12/2018 - 11:14Atualizado em 26/12/2018 - 11:16
(foto: Erik Behenck)
(foto: Erik Behenck)

Seguindo a série de entrevistas do Jornal das Nove com os prefeitos da região, o nome desta quarta-feira (26) foi Hélio Cesa, o Alemão, chefe do Poder Executivo de Siderópolis. Ele que está em seu segundo mandato falou sobre a economia do município, investimentos no turismo e uma possível mudança de nome da cidade.

“Nós estamos na segunda etapa do segundo mandato. No primeiro teve a organização do governo, para que existisse um equilíbrio. Siderópolis depende de decisões de fora, se o frango vai mal, Siderópolis vai mal, se o carvão vai mal, Siderópolis vai mal. Temos mais de 70 frigoríficos lá”, afirmou.

Alemão destacou investimentos na educação, com a instalação de ares-condicionados em todas as salas de aulas das escolas e creches de Siderópolis. Também avanços na saúde e no esporte, com um projeto que tem orçamento de R$ 500 mil por ano. A infraestrutura é outra questão que segue evoluindo, com o planejamento de pavimentar 37 ruas em 2019, além da ligação com a Barragem do Rio São Bento.

Mudança de nome

Até 1943 o município se chamava Nova Belluno, tendo o nome alterado durante a Segunda Guerra Mundial. “A gente quis colocar o debate para que as pessoas saibam da verdadeira história de Siderópolis. As eleições contaminaram o debate, a gente sabe que a opinião pública é importante, quem tem menos de 50 anos não sabe muito, Nova Belluno era o nome verdadeiro de Siderópolis”, lembrou.

Turismo

Hélio Cesa quer transformar Siderópolis num polo turístico da região e para isso já planeja algumas construções. “Um teleférico é um sonho, o prefeito não constrói, mas ele dá a dica para a iniciativa privada. Isso talvez seja a antecipação do futuro, as pessoas cada vez mais vão ter tempo para o lazer, principalmente as da terceira idade. O nosso costão de serra é um local para grandes investimentos”, declarou.