Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Ex-chefe da Casa Civil, Amandio fala à CPI nesta terça-feira

Amândio João da Silva Júnior deixou o cargo na semana passada
Redação
Por Redação Florianópolis, SC, 29/06/2020 - 17:56
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Na retomada dos trabalhos, nesta terça-feira, 30, a partir das 17 horas, a Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI dos Respiradores da Alesc tem como principal pauta o depoimento previsto do ex-chefe da Casa Civil do Estado, Amândio João da Silva Júnior, exonerado no final de semana pelo governador do Estado Carlos Moisés. “Contamos com sua participação para que sejam feitos muitos esclarecimentos pendentes”, antecipa do relator da CPI, deputado Ivan Naatz (PL).

A oitiva de Amândio é aguardada com expectativa em função de que a imagem recuperada de uma conversa por videochamada, na qual ele aparecia causou polêmica durante o depoimento do empresário Samuel de Brito Rodovalho à CPI, na semana passada. Os membros da comissão consideraram grave o fato desta proximidade, apesar de a testemunha ter afirmado que Silva Junior ainda não estava no cargo quando a conversa entre os dois ocorreu.

Também foi identificado que um dos outros participantes da videochamada é Sandro Pinheiro, que foi assessor da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável e era assessor especial da Casa Civil, antes de ser igualmente exonerado. Também foram convocados para a sessão desta terça, o responsável pelo Controle Interno e Ouvidoria da Secretaria de Estado da Saúde, Frederico Tadeu da Silva, e o gerente de Execução Financeira da Pasta, Tyago da Silva Martins. 

Numa reunião de trabalho interno na última quinta-feira (25), os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito aprovaram  requerimento com sugestão de  pedido de afastamento do controlador-geral do Estado, Luiz Felipe Ferreira por considerarem que ele teria sido omisso ao não adotar medidas cautelares necessárias no caso da compra dos respiradores.  O documento deve ser submetido à apreciação do Plenário da Assembleia Legislativa nesta terça-feira à tarde e, se aprovado, será encaminhado ao governador do Estado. O relator deputado Ivan Naatz (PL) mantém a previsão de conclusão dos trabalhos até o final do mês de julho.